0

90% dos acidentes com andadores lesionam cabeça ou pescoço de bebês

Pesquisa revelou as características de acidentes com andadores a partir de um levantamento dos casos nos EUA durante 24 anos

17 set 2018
12h40
  • separator
  • comentários

Os andadores são um objeto usado para auxiliar o bebê no momento em que estão aprendendo a andar. No entanto, eles podem causar acidentes e são proibidos em alguns países, como o Canadá. A Academia Americana de Pediatria fez um levantamento dos acidentes com andadores que aconteceram entre 1990 e 2014 nos Estados Unidos e descobriu que 90,6% das lesões que esse objeto causou foram na cabeça ou no pescoço das crianças. 

Por Rchat.photo gallery/Shutterstock
Por Rchat.photo gallery/Shutterstock
Foto: Getty Images / Minha Vida

Dos 230.676 acidentes levantados, 74,1% aconteceram pela queda das crianças da escada com o andador. Os dados foram retirados de um sistema de vigilância em segurança que obtém dados de 100 hospitais. A maior parte dos acidentes aconteceu com crianças de 8 e 9 meses. Entre os acidentes que geraram internação no hospital, 37,8% envolveram fratura de crânio.

O levantamento foi feito para analisar as consequências da implementação do padrão de segurança federal para andadores nos Estados Unidos, em 2010. As conclusões é que os acidentes diminuíram depois destas regras.

Andadores no Brasil

No Brasil, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) já se manifestou,em 2013, pedindo a proibição destes objetos. Isto não aconteceu, mas o InMetro tem uma regulamentação específica para os andadores, que diminui os perigos do objeto.

"Os pais ficam muito ansiosos para presenciar os primeiros passos do bebê, mas não há uma idade exata para isso acontecer", explica o pediatra Moisés Chencinski, homeopata e autor do livro "Gerar e Nascer Um Canto de Amor e Aconchego". O ideal é que a criança possa iniciar seus primeiros passos entre os nove e os 18 meses. "Cada criança apresenta seu ritmo e isso depende de desenvolvimento neuropsicomotor adequado, bem como de uma nutrição favorável e estímulos próprios para isso, sendo dispensável o uso de andador", aponta o profissional.

Outra questão é que os pais tendem a confiar muito nos andadores, e prestam menos atenção no bebê. "Há risco de o andador virar em degraus ou obstáculos no chão, podendo machucar o bebê", alerta Margarida de Fátima Carvalho, presidente do Departamento Científico de Reumatologia, da SBP.

Além disso, os bebês que ficam no andador tendem a usar apenas as pontas dos pés para se locomover, prejudicando todo o desenvolvimento da coordenação, explica a pediatra Margarida.

Minha Vida

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade