PUBLICIDADE

Elas são mães e fazem (bons) vinhos

Paladar testou 17 vinhos elaborados por mulheres enólogas, como opções de presente para o Dia das Mães e preço a partir de R$ 67,80

12 mai 2023 - 16h02
Compartilhar
Exibir comentários
O outono é uma ótima oportunidade para saborear diferentes tipos de vinhos
O outono é uma ótima oportunidade para saborear diferentes tipos de vinhos
Foto: Alexander Chaikin | Shutterstock / Portal EdiCase

A chegada das mulheres à enologia é relativamente recente. Há fatores culturais e físicos que explicam a aterrissagem feminina tardia na elaboração de vinhos.

É uma profissão que exige dedicação quase ininterrupta durante a colheita e a vinificação; que no passado exigia também muita força física e havia muito preconceito à presença da mulher nos vinhedos e nas vinícolas. Além disso, como provar vinhos e amamentar ao mesmo tempo?

As facilidades da tecnologia, o trabalho em equipe e a diminuição do preconceito estão mudando este cenário. À frente de grandes vinhos, várias delas contam quando se tornaram mães também viram aumentar a preocupação em fazer vinhos mais ligados à preservação do meio ambiente. "O querer fazer melhor por um mundo melhor aumenta quando se tem um filho", resume Catarina Vieira, da portuguesa Herdade do Rocim.

Outras comparam ter filhos com a elaboração de vinhos.

"A minha prática como 'blender' me ajudou a entender que cada criança e´ única, que o seu desenvolvimento decorre no seu pro´prio ritmo", conta Ana Rosas, que elabora o vinho do Porto da Adriano Ramos Pinto.

Muitas elogiam a presença dos filhos no trabalho materno: "E há até a história emocionante da espanhola Clara Concejo, que decidiu elaborar um vinho premium e doar 100% do seu lucro para um instituto que pesquisa a cura da diabetes, doença que seu filho desenvolveu quando pequeno.

Neste painel, em comum às 17 amostras apenas o fato de serem elaboradas por enólogas que são mães. No painel, há estilos bem diversos, dos mais leves aos mais concentrados e doces, assim como há todos os perfis de mães.

As amostras foram degustadas às cegas (sem saber que garrafa corresponde a qual vinho) por Felipe Campos, filho de Rosália e professor de vinho da The Wine School; e por Suzana Barelli, filha de Lurdinha, e colunista de vinhos do Paladar. Confira a seguir os vinhos provados, que são também um bom presente para as mães no próximo domingo.

Mãe que aprecia vinho branco

Quinta de Chocapalha Arinto 2019

Lisboa, Portugal

R$ 124, na Adega Alentejana

Na propriedade de sua família em Lisboa, Sandra Tavares elabora este branco, apenas com a uva arinto, apostando na tendência de vinhos mais frescos. Têm aromas florais e frutados contidos, corpo leve e muito frescor, para quem quer fugir dos brancos muito aromáticos. Tem 12% de álcool.

Single Vineyard Falaris Hill Chardonnay 2018

Leyda, Chile

R$ 189,90, na Grand Cru

Esse chardonnay de cor amarelo palha, com reflexos dourados e muita tipicidade da variedade é elaborado por Viviana Navarrete. Seus aromas lembram frutas tropicais, como abacaxi. Apresenta paladar mais cremoso, corpo de média intensidade e bastante persistente. Tem 13,5% de álcool.

Torre di Giano 2020

Úmbria, Itália

R$ 215, na Mistral

A italiana Teresa Severini é a enóloga da Lungarotti vinícola gerida por mulheres na Úmbria. De cor amarelo palha, é um blend de vermentino, trebbiano e grechetto, e traz nariz aromático, lembrando melão maduro e notas cítricas (inclusive na sua boa acidez). No paladar, é mais encorpado do que o nariz indica, com certa untuosidade e persistência. Tem 12,5% de álcool.

Deicas Atlántico sur Albariño 2022

Canelones, Uruguai

R$ 115, na Interfood

Andriana Gutierrez é o braço direito do enólogo Santiago Deicas, que assina este vinho branco, de coloração amarelo claro, com notas de ervas de cozinha, hortelã, um toque floral e cítrico, lembrando mexerica. No paladar, tem corpo mais leve, com uma acidez sápida. Tem 13% de álcool.

Mães que querem vinhos delicados

Cloudline Pinot Noir 2018

Oregon, EUA

R$ 331,09, na Mistral

Em Willamette Valley, a francesa Véronique Drouhin-Boss elabora este pinot noir de cor rubi clara, fragrante, com muitas notas de frutas vermelhas frescas no nariz, como cerejas e morangos, com ervas e muito seco, fresco. Tem corpo leve para médio e muito frescor, com 14% de álcool. Detalhe, no Oregon, ela tem um vinho com o nome de cada um dos três filhos.

Vinhos produzidos por mães são provados por Suzana Barelli e Felipe Campos
Vinhos produzidos por mães são provados por Suzana Barelli e Felipe Campos
Foto: Daniel Teixeira/Estadão / Estadão

Gau-Odernheimer 2018

Rheinhessen, Alemanha

R$ 391, na Winebrands

Julia Johannes elabora este spatburgunder (como a pinot noir é chamada em alemão) na vinícola Becker Landgraf. É um tinto mais leve, com notas de frutas vermelhas frescas e um leve floral e terroso. Gostoso e pouco complexo, tem ótimo frescor e vocação gastronômica (até com peixes, como atum, deve harmonizar). Tem 13% de álcool.

Mães que gostam de tendências

Galantas Cabernet Franc Gran Reserva 2018

Maipo, Chile

R$ 320, na Berkmann

Na chilena Haras de Pirque, Cecilia Guzmán elabora este tinto de cor rubi intenso, com novas frutas vermelhas frescas e toques florais (violeta) e minerais. Apresenta corpo de média intensidade, com taninos macios e muito frescor. Bem equilibrado e gastronômico. Tem 14,5% de álcool.

Dinamica Baga 2020

Bairrada, Portugal

R$ 199, na Casa Flora

Filipa Pato apresenta este tinto de cor rubi, com aromas de frutas vermelhas vibrantes, com um toque de madeira. De corpo médio, traz taninos elegantes, longo, com acidez presente e marcante. Tem 12,5% de álcool.

Indígena Orgânico 2020

Alentejo, Portugal

R$ 224, na World Wine

Catarina Vieira, proprietária e agrônoma da Herdade do Rocim, apresenta este tinto de cor rubi intensa, com notas de frutas vermelhas maduras no nariz e notas florais (lavanda). No paladar, traz taninos presentes e intensos, notas de coco e leve amargor final. Tem 14% de álcool.

Encostas de Estremoz Alicante Bouschet Signature 2020

Alentejo, Portugal

R$ 135,18, na Wine

Joana Roque Do Vale é a enóloga deste projeto da Ségur Estares, em Portugal. Com coloração rubi, este alicante bouschet traz notas de frutas vermelhas escuras, como mirtilo, um toque de ervas frescas. No paladar, é encorpado, mas mantém as notas de frutas e o frescor no paladar, com um toque mineral. Tem 14% de álcool.

Mãe que gosta de vinho potente

Marquês de Montemor Touriga Nacional 2016

Alentejo, Portugal

R$ 162,81, na Decanter

Com o nome da produtora Dorina Lindemann em destaque no rótulo, este touriga nacional da Quinta da Plansel tem cor rubi intensa, notas de frutas negras muito maduras, lembrando ameixas e mirtilo. No paladar, traz tanino presentes, um tanto duro, equilibrado com o álcool alto. As notas de frutas maduras trazem uma sensação de dulçor. Para quem gosta de vinhos muito potentes. Tem 15,5% de álcool.

Signos de Origem La Quebrada Syrah 2019

Casablanca, Chile

R$ 295, na La Pastina

Noelia Ortis é a enóloga responsável pelos rótulos premiuns da Emiliana. De cor rubi intensa, é complexo nos aromas, com notas de frutas negras, algo de especiarias. Encorpado, tem taninos presentes e macios, bom frescor, com discreto amargor final. Tem 14,5% de álcool.

Jilguerin Tempranillo Cabernet Sauvignon 2019

Ribera del Duero, Espanha

R$ 203, na Belle Cave

Clara Concejo impressiona com sua história de mãe, ao elaborar um vinho premium que investe na cura da diabetes do filho, mas que a garrafa não chega ao Brasil. Mas há outros rótulos da enóloga por aqui, como esse cabernet sauvignon, de cor rubi intensa, com aromas mais fechados, e notas de frutas negras e algo de café. Encorpado, com taninos rasgantes, mas com muita acidez, para quem aprecia a potência. Tem 14,5% de álcool.

Elite Malbec 2020

Paraje Altamira, Argentina

R$ 195, na Todovino

Andrea Ferreyra elabora este 100% malbec na Finca La Célia. De cor rubi violáceo, com notas de frutas vermelhas frescas, tem boa complexidade no nariz. É mais interessante nos aromas que no paladar, que apresenta corpo intenso, taninos macios, mas falta equilíbrio com o álcool e a acidez, com leve amargor final. Tem 14% de álcool.

Mãe que gosta de vinho fácil de beber

Premier Reserva Carménère 2019

Colchagua, Chile

R$ 126, na Mistral

Ainda curtindo a chegada de sua primeira filha, Emily Faulconer, da viña Carmen, apresenta este carménère típico chileno, com colocação rubi intensa, aromas fragrantes, lembrando goiabas e notas mais herbáceas. De corpo médio, tem taninos presentes, firmes, e bom equilíbrio e persistência no paladar. Tem 13% de álcool.

Crios Malbec 2022

Vale de Uco, Argentina

R$ 67,80, na Super Adega

A linha Crios é um clássico que argentina Susana Balbo criou para homenagear seus dois filhos. De cor rubi intensa, com reflexos violáceos, traz notas de frutas vermelhas maduras e uma nota floral (violeta). De corpo médio, com taninos presentes e um toque quase adocicado no final, e álcool mais presente. Tem 14,5% de álcool.

Mãe que gosta de doçura

Adriano Ramos Pinto Reserva

Douro, Portugal

R$ 194,14, na Portus

Edição comemorativa deste vinho do Porto, cuja vinícola tem fortes ligações com o Brasil. Elaborado pela enóloga Ana Rosas, traz notas de frutas negras maduras mescladas com aromas de figos, caramelo e bala toffee. Traz bom corpo, equilibrado com sua acidez e doçura. Tem 19,5% de álcool.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade