PUBLICIDADE

Ninho de vespa ou abelha em casa exige ação de profissional

As ferroadas dos insetos podem até causar morte em casos mais extremos, mas algumas medidas preventivas evitam maiores problemas

ver comentários
Publicidade

O calor é muito propício à formação de ninhos de vespas e abelhas. Apesar de só atacarem quando provocados, estes insetos podem ser perigosos para crianças e animais. Se a pessoa for alérgica, uma picada pode ser fatal. Por isso, todo cuidado é pouco ao lidar com colônias de vespas e abelhas em casa.


Ao achar um ninho desses, não tente retirá-lo sozinho. “Não se deve tentar matar a colônia com inseticida, pois as vespas atacam antes de morrer”, alerta João Justi Junior, biólogo e pesquisador científico do Instituto Biológico de São Paulo. “Para remover é preciso gente especializada. O serviço tem de ser feito no escuro e o ninho vai ser cortado e ensacado”, explica Justi Junior.

Por isso, a melhor coisa é ficar atento para evitar que as colônias se formem. “As pessoas demoram muito para perceber que os insetos estão fazendo ninho e, quando veem, ele já está grande”, diz Kátia Barão Dini, bióloga do Centro de Controle de Zoonoses da Prefeitura de São Paulo. As vespas, por exemplo, fazem ninhos em espaços protegidos, como beirais de janelas e buracos em muros e árvores. “O ninho começa com um hexágono, uma vespa, e uma vassoura resolve o problema”, afirma Kátia.


A manutenção da residência é a segunda forma de prevenção. “É preciso tomar cuidado com espaços como aqueles entre telhas mal colocadas, ou entre o beiral e o forro da casa, pois é neles que abelhas e vespas fazem ninhos”, continua a bióloga, que ainda recomenda: afaste imediatamente crianças, pessoas agitadas ou alérgicas e animais dos locais onde estão os insetos, para evitar acidentes. E se encontrar um ninho, nem pense em jogar pedras ou água nele, alerta Kátia.


A retirada das colônias é um processo complicado, perigoso e burocrático, que só deve ser realizado por especialistas ou profissionais. “Tem de pedir permissão do Ibama e, por isso, quase não há empresas privadas que fazem o serviço”, diz Kátia. Alguns apicultores até se disponibilizam a recolher colmeias. O mais indicado, no entanto, é buscar serviços públicos, como Centros de Zoonoses locais, o Corpo de Bombeiros ou a Defesa Civil.


Por fim, não basta retirar a colônia de insetos. “Abelhas e vespas soltam feromônios para indicar que um lugar é bom para se estabelecer, e, depois de retirar o ninho, o indicado é passar cal ou algum amoníaco para tirar o cheiro e evitar que elas voltem”, afirma Kátia.

 

Fonte: PrimaPagina
Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade