PUBLICIDADE

Centenário de Vilanova Artigas terá filme, livro e exposição

Projeto prepara eventos e lançamentos para celebrar, em 2015, os 100 anos de nascimento de um dos maiores arquitetos do Brasil

27 mar 2014 09h26
ver comentários
Publicidade

Em 2015, serão celebrados os 100 anos de nascimento do arquiteto Vilanova Artigas, um dos mais importantes da história do país. O centenário, claro, não poderia passar em branco. “Começamos a conversar, no âmbito da família, já em 2011”, conta a historiadora Rosa Artigas, filha do arquiteto. E, com tanto tempo de preparação, a data será marcada por diversos lançamentos, como um filme, um livro, um site e uma exposição. Todos os produtos fazem parte do projeto “Artigas 100 anos”, que está em fase de captação de recursos.

Além de seus projetos, Artigas, que nasceu em 1915 e morreu em 1989, também deixou outros legados: ele foi um dos fundadores e professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP. Durante seu período como docente, formou uma legião de profissionais até 1969, quando foi cassado pelo regime militar, voltando a ser professor na FAU apenas em 1979, depois da anistia. 

Como arquiteto e professor, Artigas foi um dos expoentes – ao lado de nomes como Paulo Mendes da Rocha e Ruy Ohtake – da chamada Escola Paulista, cujos projetos têm como marcas o rigor técnico, o uso do concreto armado aparente e a valorização da estrutura. Além disso, sempre teve preocupações mais amplas do que a mera estética das construções, discutindo também questões urbanísticas. Por tudo isso, o centenário de Artigas será lembrado por uma justa homenagem a um dos maiores nomes da arquitetura brasileira.

“Inicialmente, surgiu a ideia de um documentário analisando a obra dele, mas não era nem por causa do centenário”, explica Rosa. Como os livros sobre os projetos do arquiteto estão esgotados, a ideia inicial do documentário cresceu e deu origem ao projeto “Artigas 100 anos”, que vai incluir ainda um livro, um site e uma exposição para celebrar a data e divulgar a obra do homenageado. “Acabamos formatando o projeto como um conjunto de diversos produtos”, diz Rosa, sobre o planejamento que foi estabelecido em meados de 2013. No momento, o projeto comemorativo está inscrito nas leis de captação de recursos e aberto para patrocínios. 

O documento biográfico que deu origem ao projeto tem o título provisório “Vilanova Artigas: as cidades como as casas, as casas como as cidades” e será roteirizado pela jornalista Laura Artigas, neta do arquiteto, e codirigido por ela e por Pedro Gorski. O material filmado vai gerar não só um longa-metragem, mas também uma série de televisão e uma websérie.

O livro, cuja produção ficará a cargo da editora Terceiro Nome, traçará um amplo panorama da produção do arquiteto. Entre outras coisas, Artigas foi o responsável pelos projetos da FAU-USP e do Estádio do Morumbi. Além disso, ele também fez projetos residenciais, como o emblemático edifício Louveira, no bairro de Higienópolis, em São Paulo. 

Rosa também vai aproveitar o momento para disponibilizar publicamente todos os itens do acervo do arquiteto que ainda estão em posse da família – parte já foi doada à FAU-USP, que deve receber o novo material. O acervo completo, formado por projetos, esboços, cartas, fotos e outros documentos de Artigas, também será digitalizado e disponibilizado para consulta em no site oficial do projeto. “Não tem sentido as pessoas ficarem sentadas em cima do que pais e avós produziram, desejamos colocar o acervo para o mundo, e as pessoas fazem o que quiserem”, afirma Rosa.

Por fim, documentário, livro e site serão acompanhados por uma extensa exposição sobre os trabalhos e a vida de Artigas no Instituto Itaú Cultural. Assim, no ano que vem não faltarão oportunidades conhecer a obra de um arquiteto e intelectual cujo legado ainda hoje marca não só a cidade de São Paulo, como todo o Brasil.

 

Fonte: PrimaPagina
Publicidade
Publicidade