PUBLICIDADE

6 vantagens do maximalismo para a decoração

Veja como essa tendência permite mesclar estilos, cores, texturas e muito mais

24 mai 2024 - 16h03
Compartilhar
Exibir comentários

Nos últimos anos, os projetos de design de interiores têm sido dominados por estéticas minimalistas. Todavia, em 2024, uma nova tendência vem ganhando destaque: o maximalismo. Em contraste com a simplicidade e a sutileza do minimalismo, essa ideia abraça a exuberância, a abundância de detalhes e uma paleta de cores vibrantes. Neste estilo, a decoração não apenas preenche os espaços, mas conta histórias e reflete a personalidade dos moradores.

Quadros com cores vibrantes e artes expressivas fazem parte do universo maximalista Projeto: arquiteta Michele Wharton |
Quadros com cores vibrantes e artes expressivas fazem parte do universo maximalista Projeto: arquiteta Michele Wharton |
Foto: Emerson Rodrigues / Portal EdiCase

A seguir, a Yamamura e a arquiteta Michele Wharton explicam as vantagens de adotar essa tendência na decoração! "Para mergulhar neste universo, é preciso ter coragem e personalidade. O maximalismo permite mesclar estilos, estampas, texturas, desenhos e cores com o uso da criatividade", comenta a profissional.

1. Abraçando estilos

No maximalismo não é preciso mais seguir um modo de decoração único. A ordem agora é buscar tudo aquilo que é belo e que faça sentido na composição de um lar, ou seja: "vale misturar o estilo clássico, moderno, contemporâneo, neoclássico, rústico, praiano, industrial e o que mais os moradores sentirem vontade!", reforça a arquiteta.

2. Cores em alta

Quem gosta de tonalidades vivas e alegres, com certeza irá se identificar! Afinal, é possível combinar tons vibrantes em um único ambiente, além de investir em paredes, revestimentos e quadros coloridos, com gravuras chamativas, basta saber equilibrar!

3. Muitas vidas em uma só

O maximalismo é perfeito para aquelas pessoas que já viajaram bastante, ou fizeram imersões por diversos estilos de vida, cultura, ou trabalho, pois poderão revelar um pouco do que vivenciaram por meio de objetos, fotos, obras de arte, livros, móveis, entre outros elementos.

Mesmo para quem ainda não passou por tantas experiências, o estilo pode representar uma abertura para o novo, um primeiro passo para conhecer outras formas de viver. Por fim, para os apaixonados por antiquários, brechós, sebos e feiras de troca, o movimento é uma oportunidade para garimpar itens. 

As lojas de móveis antigos podem contribuir para compor o mobiliário maximalista
As lojas de móveis antigos podem contribuir para compor o mobiliário maximalista
Foto: Halit Sadik | Shutterstock / Portal EdiCase

4. Móveis contam histórias

Como citado no tópico anterior, os antiquários, as lojas de móveis antigos ou de madeira de demolição são sugestões para compor o mobiliário. O maximalismo permite, por exemplo, incluir um sofá moderno ao lado de uma mesinha lateral clássica, com um antigo rádio de família como item decorativo e sentimental.

5. Texturas e sensações

Diferentes tipos de tecidos podem ser utilizados em um mesmo ambiente - por meio de tapetes, mantas, cortinas, almofadas, enxovais - a fim de promover uma experiência diferenciada do toque, por meio da sensação obtida no contato com cada superfície. 

6. Estampas e padrões

Na hora de pensar em padronagens, vale investir em elementos grandes, coloridos e criativos - tais como étnicos, abstratos, psicodélicos, divertidos, folhagens, florais, geométricos, mosaicos, entre outros. Porém, os espaços precisam ser bem pensados para criarem uma harmonia visual. Dessa forma, talvez seja interessante a mescla com cores neutras nas paredes ou pisos próximos aos padrões escolhidos. 

Por Karina Monteiro

Portal EdiCase
Compartilhar
Publicidade
Publicidade