PUBLICIDADE

Cabelo com 'efeito molhado' está em alta, mas pode prejudicar sua saúde

Penteado pode causar alergias no couro cabeludo e precisa ser usado com cautela, aponta dermatologista

4 abr 2024 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
O efeito "cabelo molhado" é um dos penteados do momento, mas o uso excessivo de gel capilar pode causar danos e irritação no couro cabeludo. Para evitar, é importante optar por usar esse visual apenas em situações específicas e lavar bem o couro cabelo com xampu anti-resíduos uma vez por semana.
Foto: Reprodução/Redes Sociais

O efeito “cabelo molhado” conquistou o gosto das brasileiras e passou a ser um dos penteados mais escolhidos por quem busca um visual despojado e ousado. Mas, para chegar ao resultado, o uso de produtos como gel e gelatinas capilares é abundante, o que pode causar danos no couro cabeludo e na fibra capilar.

Em entrevista ao Terra, a dermatologista Andréa Sampaio explica que o uso excessivo de gel de cabelo pode irritar o couro cabeludo, causando descamação, irritação e até mesmo, dermatites. O acúmulo desses produtos nos fios também pode piorar a oleosidade do couro cabeludo e deixar os cabelos com aspecto opaco e quebradiço. 

Como evitar?

A especialista destaca que o uso diário desses produtos ou penteados que precisem deles é extremamente prejudicial para a saúde capilar. Optar por adotar o visual de “cabelo molhado” apenas em situações específicas e lavar bem o couro cabelo é uma opção mais segura.

“O uso de xampu anti-resíduos uma vez por semana pode ajudar na limpeza”, recomenda a dermatologista. 

De acordo com a profissional, optar por géis transparentes, com pouco ou sem perfume e à base de água é o ideal para evitar alergias no couro cabeludo. 

Para quem ama o visual ou precisa usar frequentemente o efeito nos cabelos, a médica indica alternativas menos danosas que proporcionam um resultado similar.

“Alguns tratamentos capilares dão esse efeito molhado e são feitos para tratar o cabelo e não para modelar, como séruns ou leave-in para proteção térmica. Eles nunca terão o mesmo efeito e durabilidade, mas é uma saída para quem precisa usar mais vezes”, indica.

Fonte: Redação Terra Você
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade