PUBLICIDADE

Seca intensa: governo do Mato Grosso do Sul decreta situação de emergência ambiental o Pantanal

Ao todo, serão destinados R$ 25 milhões em recursos para atuação preventiva na região

9 abr 2024 - 13h57
Compartilhar
Exibir comentários
Evento promovido pelo Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Semadesc
Evento promovido pelo Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Semadesc
Foto: Agência de Noticias do Governo do Mato Grosso

Devido às chuvas abaixo da média desde dezembro de 2022 no Mato Grosso do Sul, o Governo do Estado decretou situação de emergência ambiental. O decreto foi assinado pelo governador Eduardo Riedel na manhã desta terça-feira, 9, durante o 1° Workshop Presencial de Prevenção aos Incêndios Florestais em 2024.

O objetivo do decreto assinado é propor ações para proteger os biomas do Estado, incluindo Pantanal, Cerrado e Mata Atlântica, que estão suscetíveis a incêndios florestais devido a seca intensa, altas de calor e falta de chuvas no Estado.

No evento promovido pelo Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação) e o Comitê do Fogo (Comitê Interinstitucional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais), Eduardo Riedel informou que serão investidos R$ 25 milhões em recursos para atuação preventiva.

"Temos R$ 25 milhões em recursos para atuação preventiva, pronto para ser usado e evitar que a gente tenha milhões de hectares queimados. Estamos nos preparando para minimizar caso ocorra algum problema", disse o governador no Workshop de Prevenção aos Incêndios Florestais.

No evento, também foi lançada uma campanha anual de prevenção e combate a incêndios florestais pelo secretário-executivo de Comunicação, Frederico Fukagawa Hozano de Souza.

A iniciativa anunciada tem como objetivo principal conscientizar e engajar a comunidade na preservação dos biomas de Mato Grosso do Sul, destacando a importância da prevenção e da ação coordenada para proteger o meio ambiente. "Desenvolvemos um plano de comunicação para auxiliar no trabalho de combate e prevenção aos incêndios florestais", informou Frederico Fukagawa.

No evento também estiveram presentes os secretários Jaime Verruck (Semadesc) e Antonio Carlos Videira (Sejusp), além do coronel Frederico Reis Pouso Salas, comandante do Corpo de Bombeiros. Marcelo Bertoni, presidente da Famasul, Bruno Cambraia do ICMBio, e especialistas nacionais e estaduais da área de proteção ambiental, previsão do tempo e clima também participaram.

Em uma fala, Verruck informou que embora o decreto tenha como propósito inicial preservar o Pantanal e os biomas, o objetivo principal do decreto é que ele se estenda a todo o Estado. "Estamos propondo a queima prescrita, que é uma inversão da lógica, com o Estado identificando locais com acúmulo de biomassa. É uma inovação do ponto de vista de combate a incêndio", completou Verruck.

Você sabe qual é o lugar mais quente do mundo? Descubra Você sabe qual é o lugar mais quente do mundo? Descubra

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade