0

Toyota Corolla GLi já custa R$ 108 mil. Veja se vale a pena

Com o aumento nos preços dos carros, Corolla 2.0 de entrada se tornou menos acessível e agora enfrenta sedãs mais em conta. Leia a análise

28 jul 2020
17h18
atualizado em 29/7/2020 às 11h33
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Toyota Corolla GLi 2.0: versão de entrada do sedão japonês já custa R$ 107.990.
Toyota Corolla GLi 2.0: versão de entrada do sedão japonês já custa R$ 107.990.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

O Toyota Corolla, como todos os outros carros, subiu muito de preço e hoje a versão de entrada passa longe da casa dos R$ 100 mil. O Corolla GLi custa exatos R$ 107.990. Não é barato, mas ainda assim sai por R$ 11.300 a menos do que o Corolla XEi, que se aproxima da casa dos R$ 120 mil. A questão aqui é saber se o Corolla GLi vale a pena ou se existem ofertas melhores no mercado.

Da mesma categoria que o Corolla as opções são o Honda Civic LX (R$ 102.200), o Chevrolet Cruze LT (R$ 105.290) e o novo Caoa Chery Arrizo 6 (que custa R$ 108.750, mas está com promoção de lançamento por R$ 98.400). Existe ainda a opção do Volkswagen Jetta 250 TSI, que custa R$ 99.990, mas só linha 2019 (o Jetta mais em conta da linha 2020 é o Comfortline, que sai por R$ 125.950).

Com entre-eixos de 2,700 m, o novo Corolla oferece bom espaço interno.
Com entre-eixos de 2,700 m, o novo Corolla oferece bom espaço interno.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

É muito difícil para um fã da Toyota, entretanto, aceitar qualquer outro carro que não seja um… Toyota. Nesse caso, para quem não pretende gastar tanto, a única opção seria optar por um Yaris Sedã XSL Connect, topo de linha, que custa R$ 91.990. Sair de um Corolla usado e comprar um Yaris zero km vale a pena? Não. Provavelmente o downgrade de categoria vai ser sentido em diversos aspectos, como o tamanho do carro, a potência do motor e o desempenho. 

Se é para sair de um Corolla usado e trocar por um sedã na faixa de R$ 100 mil, os melhores negócios são o Arrizo 6 GSX e o Civic LX. Nos dois casos, porém, o novo Corolla GLi se impõe na questão da motorização. Ele vem equipado com o novo 2.0 Dynamic Force de 169/177 cv de potência (gasolina/etanol) e câmbio CVT de 10 marchas. O Civic 2.0 tem 150/155 cv com câmbio CVT de sete marchas e o Arrizo 1.5 turbo tem 150 cavalos (g/e) e CVT de nove marchas

Volante com boa empunhadura agrada, mas a multimídia tem design obsoleto.
Volante com boa empunhadura agrada, mas a multimídia tem design obsoleto.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Dinamicamente, ainda não podemos opinar sobre o interessante Arrizo 6, pois ele chegou durante a pandemia de coronavírus e não foi possível fazer uma avaliação. O Civic 2.0 é um grande carro, dinamicamente. O problema é que o novo Corolla também é. O Toyota ficou muito mais refinado nesta nova geração, graças à nova plataforma TNGA, com centro de gravidade mais baixo, e a um ótimo acerto na suspensão traseira, que agora é multilink.

Como se vê, mesmo custando bem acima dos R$ 100 mil, o Corolla continua sendo muito competitivo em sua categoria. Com o novo motor, o sedã japonês ficou com uma relação peso/potência de apenas 7,8 kg/cv. Assim, acelera de 0-100 km/h em 9,2 segundos e chega a 208 km/h. É um carro realmente agradável de guiar. O volante tem boa empunhadura, a posição de dirigir é agradável (com o volante à frente do peito), a visibilidade da estrada é ótima, bem como a dos instrumentos. 

Porta-malas do Corolla não é dos maiores, tem 470 litros, mas ganha do Chevrolet Cruze.
Porta-malas do Corolla não é dos maiores, tem 470 litros, mas ganha do Chevrolet Cruze.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Visualmente, o Corolla GLi não “entrega” seu dono. Ele tem um pequeno logotipo GLi na traseira e as rodas são menores (16”) em relação ao Corolla XEi (rodas de 17”). Com rodas maiores o carro fica mais bonito, porém os pneus de perfil um pouco mais alto do Corolla GLi são mais adequados para um país como o Brasil, cheio de ruas e estradas com buracos ou saliências. Os pneus 205/55 são mais confortáveis do que os do XEi (225/45). Além disso, o carro vem com os mesmos sete airbags e a multimídia com tela de 8”, com espelhamento do celular pelo Toyota Play+ e conectividade Android Auto e Apple CarPlay.

Rodas de liga leve da versão GLi são de 16", o que ajuda no conforto ao rodar.
Rodas de liga leve da versão GLi são de 16", o que ajuda no conforto ao rodar.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Em relação ao Corolla XEi, o GLi 2.0 de entrada perde, além das rodas de 17”, os seguintes itens: difusores de ar com acabamento na cor prata, espelho retrovisor interno antiofuscante eletrocrômico, botão de partida, Smart Entry e ar-condicionado automático digital. Será que vale a pena pagar R$ 11.300 a mais só por esses itens? Aí depende de cada um. Durante nossa avaliação, só o ar-condicionado digital fez alguma falta no uso cotidiano.

De resto o Toyota Corolla GLi tem as mesmas características que já consagram esta nova geração como o melhor Corolla já construído, e que já havíamos observado na avaliação das demais versões. O único ponto realmente negativo do carro é o design obsoleto da central multimídia, que também não é muito prática. Fora isso, o Corolla GLi é um carro bastante digno, tanto para o motorista (que conta com um ótimo comportamento dinâmico na estrada) como para os demais passageiros (que contam com um rodar suave e a segurança dos airbags laterais e de cortina, além de bom espaço para as pernas). Ok, o porta-malas de 470 litros não é dos maiores, mas dá conta na maioria dos casos.

Quadro de instrumentos simples e eficiente, com TFT de 4,2" no computador de bordo.
Quadro de instrumentos simples e eficiente, com TFT de 4,2" no computador de bordo.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Para quem gosta da Toyota, sonha com o novo Corolla e tem os R$ 108 mil, vale a pena. Para quem prefere um sedã mais ousado no visual (mas abre mão de maior potência desempenho), não custa dar um olhada no Honda Civic, tanto no LX de de R$ 102.200 como no Sport de R$ 108.700. Já o Chevrolet Cruze 1.5 turbo, por R$ 105.290, tem 150/153 cv de potência, mas um porta-malas de apenas 440 litros (ainda menor que o do Corolla). O Yaris Sedã, com seus 110 cavalos, não vale a pena. Se é para economizar, melhor optar pelo Arrizo 6, da Caoa Chery, que está na mesma categoria e tem um porta-malas de 570 litros 

Os números

  • Preço: R$ 107.990
  • Motor: 2.0 flex
  • Potência: 177 cv a 6.600 rpm (e)
  • Torque: 210 Nm a 4.400 rpm (g/e)
  • Câmbio: 10 marchas CVT
  • Comprimento: 4,630 m
  • Largura: 1,780 m
  • Altura: 1,455 m
  • Entre-eixos: 2,700 m
  • Peso: 1.375 kg
  • Pneus: 205/55 R16
  • Porta-malas: 470 litros
  • Tanque: 50 litros
  • Velocidade máxima: 208 km/h
  • 0-100 km/h: 9s2
  • Consumo cidade: 11,6 km/l (g)
  • Consumo estrada: 13,9 km/l (g)
  • Emissão de CO2: 107 g/km
Plataforma TNGA deixou o Toyota Corolla com centro de gravidade mais baixo.
Plataforma TNGA deixou o Toyota Corolla com centro de gravidade mais baixo.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Principais equipamentos de série

  • Sistema multimídia Toyota Play+ 8”
  • Rodas de liga leve aro 16"
  • Sete airbags
  • Controle eletrônico de estabilidade
  • Controle eletrônico de tração
  • Assistente de subida em rampa
  • Sinal de frenagem de emergência
  • Sistema de alarme volumétrico e perimétrico
  • Acendimento automático de faróis e lanternas
  • luzes diurnas (DRL)
  • Computador de bordo com TFT de 4,2”
  • Eco Driving
  • Chave com alarme
  • Ar-condicionado manual
  • Banco do motorista com seis ajustes
  • Banco do passageiro dianteiro com quatro ajustes
Debaixo do capô está o segredo do Corolla GLi: um motor 2.0 de 177 cavalos.
Debaixo do capô está o segredo do Corolla GLi: um motor 2.0 de 177 cavalos.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

 

Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade