0

Ranking da Fenabrave não faz sentido e precisa ser mudado

Análise: há duas categorias para 3 peruas e só uma para 40 SUVs. VW Gol está no lugar errado, Mercedes Classe C está em duas categorias

10 jul 2020
06h00
atualizado às 08h47
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Mercedes-Benz Classe C: 5º colocado como "Sedan Médio" e 3º lugar como "Sedan Grande".
Mercedes-Benz Classe C: 5º colocado como "Sedan Médio" e 3º lugar como "Sedan Grande".
Foto: Mercedes-Benz / Divulgação

A Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) presta um serviço muito bom para a indústria automobilística, divulgando diariamente -- e com boletins mensais -- as vendas de veículos no Brasil. Entretanto, o ranking da Fenabrave está defasado em sua matriz e não faz mais nenhum sentido. Precisa ser mudado em janeiro de 2021 se quiser continuar sendo relevante para o mercado.

É necessário ter duas categorias de peruas para apenas três modelos à venda no mercado? Ou então duas categorias de monovolumes para abrigar cinco carros? Em compensação, os SUVs estão agrupados em apenas um ranking, mas poderiam ser desmembrados em três ou mais categorias.

O problema está na classificação das categorias. É compreensível que não se deve mudar sempre, pois isso inviabilizaria as comparações. Porém, já passou de hora de atualizar a matriz das categorias. Não culpo a Fenabrave, não, e sim as próprias montadoras. Aparentemente, a orientação de classificação dos carros é feita sem critério pelos fabricantes e o resultado é um ranking inútil em várias categorias. Vamos analisar os principais casos.

VW Gol: mais caro que o Ford Ka e maior que o Nissan March, mas está na categoria de entrada.
VW Gol: mais caro que o Ford Ka e maior que o Nissan March, mas está na categoria de entrada.
Foto: VW / Divulgação

O Volkswagen Gol aparece em junho como líder da categoria “Veículos de Entrada”. Até aí, tudo bem, embora o Gol esteja no mesmo grupo dos Fiat Mobi e Uno, do Renault Kwid e do Volkswagen Up. Porém, na categoria seguinte, “Hatches Pequenos”, aparecem carros como o Nissan March, o Ford Ka e o Mini Cooper. Eis o primeiro problema. O Gol está na categoria de entrada, mas parte de R$ 51.250. Já o Ford Ka, que está na categoria correta, custa menos que o Gol: R$ 49.890. O Mini Cooper custa R$ 141.990, portanto o critério deve ser o tamanho do carro. Mas como? O Gol mede 3,892 m e é maior do que o March, que mede 3,827 m. No mínimo, deveriam estar na mesma categoria.

O caso dos sedãs também é complicado. A Fenabrave classifica os carros de três volumes em quatro categorias: “Sedans Pequenos”, “Sedans Compactos”, “Sedans Médios” e “Sedans Grandes”. O Mercedes Classe C consegue o milagre de estar em duas categorias. Ele aparece em 5º lugar com 967 vendas em “Sedans Médios”, mas também aparece em 3º lugar com 125 vendas em “Sedans Grandes”. Ora, todas as versões têm o mesmo tamanho. Portanto, ou a Mercedes errou ou a Fenabrave errou. Ou ambas. Outro detalhe: o Porsche Panamera, que é um cupê de quatro portas, aparece como 10º colocado entre os “Sedans Grandes”.

Volvo V60: uma das últimas três peruas, que têm duas categorias no ranking.
Volvo V60: uma das últimas três peruas, que têm duas categorias no ranking.
Foto: Volvo / Divulgação

As peruas são divididas em “SW Médios” e “SW Grandes”. Somando os raros modelos que aparecem nas duas categorias, eles venderam apenas 283 unidades em 2020. No entanto, os 40 SUVs agrupados numa única categoria já venderam 187.875 unidades em seis meses. Se quisesse, a Fenabrave poderia dividi-los em quatro, cinco ou até seis categorias, considerando os SUVs compactos, médios, grandes, premium, carroceria sobre chassi e os novos SUVs cupê. 

Outro caso sem sentido é o dos monovolumes. Eles são divididos em “Monocab” e “Grandcab”. Apenas cinco modelos estão à venda. Somando tudo, conseguiram licenciar só 14,6 mil carros. Poderiam ser agrupados numa única categoria. Para finalizar, as picapes médias são classificadas como “Pick-ups Grandes”, que têm como líder a Fiat Toro (mas ela não é grande), seguida da Toyota Hilux. Melhor criar uma categoria à parte para a Fiat Toro e a Renault Oroch, ou então colocá-las junto com as pequenas e mudar o nome para “Pick-ups Compactas”. Afinal, a nova Fiat Strada está aí para mostrar que não é exatamente pequena.

Fiat Toro: líder da categoria "Pick-ups Grandes", mas ela é média perto de uma Hilux ou Ranger.
Fiat Toro: líder da categoria "Pick-ups Grandes", mas ela é média perto de uma Hilux ou Ranger.
Foto: FCA / Divulgação

Gostaria de acrescentar que esta crítica é construtiva. Vivemos num mundo com muita prioridades e o ranking da Fenabrave certamente não é prioridade para as montadoras. Porém, deveria merecer mais atenção. Ou então, que a própria Fenabrave faça um estudo para atualizar seu ranking, de forma que ele possa ser mais útil para os profissionais do setor, sem necessidade de eliminar ou acrescentar carros para obter um retrato do mercado.

 

Veja também:

Honda Civic 1.5 turbo é um devorador de estrada
Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade