0

Startup de combustíveis CombuData recebe aporte de R$ 2,8 milhões

A empresa curitibana é dona de uma plataforma que dá a compradores de combustível uma visão geral de como está o preço da commodity e quais são as opções de compra

6 ago 2020
05h10
atualizado às 11h34
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Criada para ajudar empresas a economizarem em compras de combustível, a startup curitibana CombuData acertou, ainda durante a pandemia, um investimento de R$ 2,8 milhões, liderado pelo fundo Canary e com participação dos fundadores da empresa Mobly, que vende móveis pela internet. Com os novos recursos, que representam o primeiro aporte recebido pela startup, a CombuData pretende investir em tecnologia, aumentar sua base de clientes e também acelerar o crescimento do seu marketplace próprio, o CombuMarket, que conecta compradores de combustíveis a fornecedores.

Fundada em 2019 pelos engenheiros Daniel Colella e Vinicius Donin, a startup é dona de uma plataforma que dá a compradores de combustível uma visão geral de como está o preço da commodity e quais são as opções e condições de compra. A CombuData atende principalmente empresas de transporte de carga e passageiros — ao todo, hoje são 15 clientes.

"Queremos resolver a falta de transparência na relação comercial entre compradores e vendedores de combustível. É um mercado super conservador, em que o comprador tem pouca visibilidade a respeito da qualidade da condição comercial. Ele não consegue saber se está comprando bem ou se está comprando mal", afirmou Colella ao Estadão. "Até então, a única forma de uma empresa avaliar as condições de compra de combustível era comparando o preço com algum conhecido".

Além dessa plataforma de inteligência de dados, a empresa lançou em julho deste ano seu próprio marketplace. "É uma forma de as empresas terem acesso a mais fornecedores, e não apenas os de sempre. Assim conseguimos deixar o mercado cada vez mais competitivo", diz Donin.

A Canary viu potencial na atuação da CombuData no setor. "Há uma oportunidade enorme no mercado de combustíveis, que ainda é pouco transparente e analógico. É animador ver times muito bons atacando mercados grandes e não óbvios no Brasil", diz Marcos Toledo, sócio do fundo.

Para a CombuData, o maior desafio para os próximos meses será gerenciar o crescimento proporcionado pelo aporte. "Montar um time praticamente do zero em meio à pandemia tem sido desafiador. Além disso, área de combustíveis é um mercado específico e acaba sendo mais difícil encontrar profissionais especializados", diz Colella. A empresa tem hoje 17 funcionários e está com 9 vagas abertas.

Veja também:

TikTok se aproxima da Oracle para permanecer nos EUA
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade