0

Huawei é um risco e Reino Unido deve mudar de rumo nas redes 5G, diz ex-espião

16 mai 2019
13h45
  • separator
  • comentários

A chinesa Huawei representa um grave risco de segurança para o Reino Unido, e o governo deve impedi-la de participar na construção de redes 5G, disse o ex-chefe do serviço britânico de espionagem MI6 nesta quinta-feira.

Logotipo da Huawei é visto durante evento de startups, em Paris. 16/5/2019. REUTERS/Charles Platiau
Logotipo da Huawei é visto durante evento de startups, em Paris. 16/5/2019. REUTERS/Charles Platiau
Foto: Reuters

No que alguns compararam à corrida armamentista da Guerra Fria, os Estados Unidos estão preocupados que o domínio do 5G dê a qualquer concorrente global como a China uma vantagem que Washington não está disposta a aceitar.

A administração Trump, que atingiu a Huawei com severas sanções na quarta-feira, disse a aliados que não usem sua tecnologia por temer que possa ser um veículo para a espionagem chinesa. A Huawei tem negado isso repetidamente.

"Espero sinceramente que haja tempo para o governo do Reino Unido reconsiderar a decisão da Huawei", disse Richard Dearlove, chefe do Serviço Secreto de Inteligência de 1996 a 2004.

"A capacidade de controlar as comunicações e os dados que fluem através de seus canais será o caminho para exercer poder sobre as sociedades e outras nações", escreveu Dearlove em relatório sobre a Huawei feito pela Henry Jackson Society.

Dearlove, que passou 38 anos na inteligência britânica, disse ser muito preocupante que o governo britânico "pareça ter decidido colocar o desenvolvimento de sua infraestrutura crítica mais sensível" nas mãos de uma empresa chinesa.

"Não devemos ser influenciados pela ameaça do custo econômico de atrasar o 5G ou ter que se contentar com um provedor menos capaz e mais caro", disse ele.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade