PUBLICIDADE

Como o coronavírus está afetando o mundo da tecnologia

Algumas empresas fecharam lojas e fábricas; muitas companhias estão restringindo a viagem de seus funcionários à China

31 jan 2020 05h11
| atualizado em 12/2/2020 às 12h37
ver comentários
Publicidade

Última atualização em 12 de fevereiro, às 12h35

O mundo está em alerta com o coronavírus, que já afetou milhares de pessoas na China - mais de 44,6 mil pessoas foram infectadas, das quais mais de mil morreram. Com uma grande base de operações no país asiático, o mundo tecnológico também está sendo afetado. Fábricas estão paradas, lojas estão fechadas e funcionários não estão autorizados a realizar viagens.

Segundo relatório de especialistas do setor de celulares, as vendas de smartphones podem cair até 50% no primeiro trimestre de 2020, devido ao funcionamento interrompido de diversas fabricantes no período. Ainda de acordo com o relatório, o lançamento de novos produtos também pode ser afetado caso as fábricas continuem fechadas.

Algumas das principais empresas do setor, como Apple e Google, estão entre os afetados. A seguir, veja como o coronavírus está impactando essas companhias e o que elas estão fazendo para lidar com o problema:

Apple

O presidente executivo da Apple, Tim Cook disse na terça-feira, 28 de janeiro, que a companhia tem fornecedores na região da China em que o coronavírus começou a se espalhar. Cook afirmou que a empresa tem fontes alternativas para esses componentes e disse que a empresa "está trabalhando em planos para compensar qualquer perda de produção."

Depois do fechamento de uma loja, na semana passada, por conta da doença, a Apple decidiu aplicar a medida para todos os seus estabelecimentos no país, segundo a agência de notícia Bloomberg. De acordo com as informações, escritórios, lojas e centrais de contato estarão fechadas até o dia 9 de fevereiro, com o funcionamento apenas do serviço online de compras. Algumas varejistas parceiras da marca também fecharam suas lojas.

Segundo o jornal Nikkei Asian Review, a doença pode fazer com que a Apple desista do plano de aumentar a produção do iPhone de 10% neste primeiro semestre.

A Foxconn, que fabrica iPhones para a Apple na China, afirmou que a situação está sob controle e que a produção do iPhone não vai ser afetada. Porém, a empresa pediu que seus funcionários não retornassem ao trabalho no dia 10 de fevereiro, como estimado, e que aguardem as futuras instruções, segundo a agência de notícias Bloomberg.

"Para proteger a saúde e a segurança de todos e cumprir as medidas governamentais de prevenção de vírus, pedimos que não voltem a Shenzhen", escreveu a empresa em uma mensagem aos funcionários vista pela Bloomberg. "Vamos atualizá-los sobre a situação na cidade. A empresa protegerá os direitos e interesses de todos no trabalho durante o período".

Google

Por causa do coronavírus, o Google está fechando temporariamente todos os seus escritórios na China, de acordo com o site The Verge. O fechamento inclui também os escritórios instalados em Hong Kong e Taiwan, afirmou o site.

Xiaomi

A Xiaomi também tomou providências em meio ao cenário. Segundo o site Gizmochina, a empresa anunciou o fechamento de lojas na China por uma semana, por causa da "situação epidêmica", nas palavras da empresa. A fabricante chinesa disse que pode fechar as lojas por mais tempo caso seja necessário.

Facebook

A rede social de Mark Zuckerberg, por sua vez, está restringindo as viagens de seus funcionários à China, de acordo com o site The Verge. A empresa está barrando as viagens que não são essenciais, e também está pedindo que funcionários que recentemente voltaram da China trabalhem de casa. Apesar de o Facebook não funcionar na China, a rede social tem escritórios no país e usa fabricantes chinesas para produção de seus óculos de realidade virtual e do seu aparelho de videochamadas Portal.

LG

De acordo com a agência de notícias Reuters, a LG proibiu totalmente a viagem de seus funcionários para a China. Além disso, a empresa aconselhou seus funcionários que estão na China a voltarem para casa o quanto antes. A empresa também cancelou sua participação na Mobile World Congress (MWC), evento em Barcelona, na Espanha.

"Pela segurança de seus funcionários e do público em geral, a LG decidiu deixar de expor e participar do MWC 2020 ainda este mês em Barcelona, ??Espanha", afirmou a LG em comunicado.

Microsoft

A empresa dona do Windows também está restringindo viagens de seus funcionários ao país, de acordo com a revista Forbes. "Nós aconselhamos os funcionários na China a trabalhar de casa", disse a empresa, "e a cancelar todas as viagens de negócios não essenciais".

Samsung

Devido ao coronavírus, a Samsung disse em comunicado que estendeu o feriado em algumas fábricas, de acordo com as orientações do governo chinês.

Tesla

A montadora de carros elétricos Tesla fechou sua fábrica em Xangai, seguindo orientações do governo chinês. A decisão afetará a produção do carro Modelo 3, de acordo com o chefe financeiro da empresa, Zach Kirkhorn. As ações da empresa registraram queda depois da confirmação de que entregas na China vão sofrer atraso graças ao coronavírus.

Huawei

Na segunda feira, 3, a Huawei retomou as atividades de suas fábricas na China, incluindo a produção de dispositivos e equipamentos de suporte e operações, após o feriado do Ano Novo Lunar. A empresa anunciou que funciona normalmente, no momento, apesar do coronavírus na China, por conta de uma isenção especial que permitiu que algumas fabricas continuassem em operação.

ZTE

A ZTE, empresa de telecomunicações, anunciou na terça-feira, 4, que não vai mais comparecer à coletiva de imprensa durante a Mobile World Congress, que acontecerá em Barcelona, de 24 a 27 de fevereiro. A empresa informou ao site de tecnologia The Verge que a ausência se dá por questões decorrentes do surto na China e pelos atrasos em serviços como visto para viajar, que atrasaria a chegada no evento.

Sony

Apesar de elevar a expectativa de lucro para o ano de 2020, a Sony alertou sobre os possíveis impactos que o coronavírus pode ter na sua cadeia de fornecimento global. Isso porque o envio de sensores, utilizados nos produtos da empresa, pode ser prejudicado com a disseminação do coronavírus, caso os fabricantes sejam obrigados a suspender as operações na China.

Segundo o vice-presidente financeiro, Hiroki Totoki, o surto de vírus também pode atrapalhar as cadeias de fornecimento de seu console PlayStation e outros eletrônicos de consumo.

A empresa decidiu cancelar a presença na Mobile World Congress (MWC), em Barcelona."A Sony vem monitorando de perto a situação do coronavírus, que foi declarada uma emergência global pela OMS no dia 30 de janeiro de 2020. Ao priorizarmos a importância da segurança e do bem-estar de nossos clientes, parceiros, membros da mídia e funcionários, tomamos a difícil decisão de cancelarmos nossa participação no MWC 2020 em Barcelona, Espanha", disse comunicado da empresa. Tradicionalmente, a fabricante japonesa revela novos dispositivos no evento.

Nintendo

A Nintendo anunciou nesta quinta-feira, 6, que é "inevitável" que a produção do console Switch seja afetada pelo coronavírus. A empresa começou a transição da fabricação do videogame da China para o Vietnã no ano passado, mas não garante que a fábrica do sudeste asiático tenha capacidade para suprir toda a demanda.

O presidente executivo da empresa, Shuntaro Furukawa, disse na semana passada que a produção na China do popular dispositivo estava sendo afetada pelo vírus.

Ericsson

A empresa sueca de tecnologia Ericsson foi mais uma a cancelar a presença na Mobile World Congress (MWC), em Barcelona, no final de Fevereiro. Segundo comunicado, a Ericsson afirmou que o impacto do coronavírus ainda é pequeno na empresa, mas que, por medida de segurança de seus funcionários, decidiu não estar presente na edição da MWC de 2020.

Amazon

A expansão do coronavírus pode trazer problemas para os vendedores que utilizam o marketplace da Amazon. A preocupação é pelo retorno dos trabalhos na China, adiados pelo surto. Caso os trabalhadores não tenham condições de retomar a rotina, a escassez de produtos pode afetar a distribuição das compras. A empresa alertou os vendedores para que mantenham estoques e, se necessário, sinalizem as lojas temporariamente como inativas no marketplace.

A gigante, que normalmente não tem protagonismo no MWC, também desistiu do evento. Ao site TechCrunch, a gigante afirmou: "por conta da epidemia de coronavírus, a Amazon se retirará do MWC 2020".

Mobile World Congress (MWC)

Às vesperas do maior congresso de celulares do mundo, as empresas de tecnologia sentem o impacto do coronavírus na participação da Mobile World Congress (MWC) em Barcelona, marcado para o final de fevereiro. Os cancelamentos diários colocam em risco a realização da feira, que ainda não se manifestou sobre a manutenção ou não das datas do evento.

Entre as empresas que cancelaram a presença na MWC estão: Accedian, Amazon, Amdocs, Cisco, CommScope, Dali Wireless, Ericsson, Facebook, F5 Networks, iconectiv, Intel, InterDigital, LG, MediaTek, NTT Docomo, Nvidia, Nokia, Rakuten, Sony, Ulefone, Umidigi, Viber, Vivo. A ZTE e a TLC cancelaram suas coletivas no evento, enquanto Huawei e Oppo vão manter seus executivos em quarentena por, pelo menos, 14 dias antes do evento, segundo o site americano de tecnologia CNET.

Estadão
Publicidade
Publicidade