6 eventos ao vivo

Trump pressiona com resposta militar e EUA esperam mais protestos

2 jun 2020
20h57
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta terça-feira que as tropas do país devem ir às ruas da cidade de Nova York para reprimir distúrbios, enquanto autoridades por todo o país se preparam para mais uma noite de protestos pela morte de um homem negro morto sob custódia policial.

Presidente dos EUA, Donald Trump. 24/4/2020. REUTERS/Jonathan Ernst
Presidente dos EUA, Donald Trump. 24/4/2020. REUTERS/Jonathan Ernst
Foto: Reuters

Dezenas de cidades estão sob toque de recolher. O chefe da Guarda Nacional do país disse que 18 mil membros da Guarda estão trabalhando junto com autoridades locais em 29 Estados. 

Parlamentares e autoridades policiais pareciam estar espantadas com a extensão do caos provocado durante a noite em algumas das maiores cidades do país, onde policiais foram baleados e apedrejados ao enfrentarem multidões hostis.

Manifestantes quebraram janelas e saquearam lojas em Nova York, incluindo lojas de luxo na Quinta Avenida, e atearam fogo numa área de compras em Los Angeles. Quatro policiais foram baleados em St. Louis e um em Las Vegas ficou ferido gravemente, disseram autoridades.

Trump ameaçou usar militares para combater a violência que emergiu, normalmente após um dia de protestos pacíficos. O presidente ainda zombou de autoridades locais, incluindo alguns governadores estaduais, por suas respostas aos distúrbios. 

"NY, CHAME A GUARDA NACIONAL. Os marginais e perdedores estão despedaçando vocês. Ajam rápido!", publicou Trump no Twitter. Ele destacou milhares de soldados armados e policiais na capital norte-americana e prometeu fazer o mesmo onde as autoridades não conseguirem retomar o controle.

Veja também:

Os navios gigantescos que a pandemia mandou para o desmanche
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade