PUBLICIDADE

Taiwan diz que China a impede de entrar na OMS "de má fé"

Pequim indicou que não permitirá que a ilha participe de uma grande reunião da Organização Mundial da Saúde

11 mai 2021 13h32
| atualizado às 13h36
ver comentários
Publicidade

Taiwan acusou a China nesta terça-feira de impedir acesso à Organização Mundial da Saúde (OMS) de má fé e de colocar a política acima do bem-estar das pessoas, após Pequim indicar que não permitirá que a ilha participe de uma grande reunião da OMS.

Porta-voz da chancelaria de Taiwan, Joanne Ou. 11/2/2020. REUTERS/Ben Blanchard
Porta-voz da chancelaria de Taiwan, Joanne Ou. 11/2/2020. REUTERS/Ben Blanchard
Foto: Reuters

Os Estados Unidos e o G7 pediram que Taiwan - reivindicada pelos chineses, mas com governo democrático - participe do organismo de tomada de decisões da OMS, a Assembleia Mundial da Saúde, que se reúne a partir de 24 de maio.

Na segunda-feira, o Ministério das Relações Exteriores chinês disse que a ilha tem que aceitar que é parte da China se quiser ter acesso a organismos globais, algo que o governo de Taipé não fará, e que "arranjos adequados" foram feitos para a participação taiwanesa em questões de saúde mundiais.

A porta-voz da chancelaria de Taiwan, Joanne Ou, disse que a China mente e tenta ludibriar a comunidade internacional.

"A obstrução de má fé da China é o principal obstáculo para a incapacidade da OMS de incluir Taiwan plenamente em debates técnicos", disse ela.

"Ela também mostra o ato continuamente tirânico da China de colocar a política acima de direitos humanos e de saúde". Só o governo da Taiwan democraticamente eleito pode representar seu povo na OMS e em outros organismos, não a China, disse ela.

Taiwan está ausente da maioria das organizações globais, como a OMS, devido às objeções da China, que considera a ilha uma de suas províncias, e não um país.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade