PUBLICIDADE

Mundo

Sobrevivente de ataque, modelo ucraniana desabafa após dois anos de invasão russa: 'As pessoas estão enlouquecendo'

Iryna Bilotserkovets foi baleada na cabeça apenas três dias após o começo da invasão russa na Ucrânia, em fevereiro de 2022

24 fev 2024 - 17h29
Compartilhar
Exibir comentários
Iryna Bilotserkovets é o rosto da primeira edição da Playboy a ser impressa na Ucrânia desde o início da guerra
Iryna Bilotserkovets é o rosto da primeira edição da Playboy a ser impressa na Ucrânia desde o início da guerra
Foto: Reprodução/Daily Mail

Nos primeiros dias da invasão russa à Ucrânia, em fevereiro de 2022, uma modelo foi baleada na cabeça em uma suposta tentativa de assassinato enquanto tentava fugir de Kiev. No aniversário de dois anos da guerra neste sábado, 24, Iryna Bilotserkovets, que posou na capa da primeira Playboy impressa na Ucrânia após a invasão, relembra o ataque e revela que chegou a se despedir dos filhos após o atentado.

Apresentadora de TV, Iryna é esposa do assessor do prefeito de Kiev, Vitali Klitschko, e mãe de três filhos. Apenas três dias após a invasão da Rússia à Ucrânia, foi vítima de um ataque a tiros atribuído às forças russas. No entanto, não se sabe se a modelo era um alvo ou se foi atingida durante o fogo cruzado.

A modelo perdeu o olho esquerdo e passou por 10 horas de cirurgia para a remoção do projétil em seu crânio, contou ao tablóide The Sun. Iryna revelou que os médicos acreditavam que ela não resistiria e que chegou a se despedir dos filhos mas, por um 'milagre', ela atribui, conseguiu sobreviver.  

Iryna também foi submetida a uma reconstrução facial e retomou os trabalhos como modelo, usando tapa-olho, óculos escuros ou acessórios para esconder a perda do olho esquerdo. O trabalho pela revista masculina a tornou um símbolo de resistência entre as tropas ucranianas, conta. 

A modelo revela que, apesar do atentado, continua morando na capital ucraniana e que os bombardeios têm piorado. Diariamente, Iryna e sua família se refugiam em um abrigo subterrâneo e é comum ficar sem energia elétrica em Kiev. "Crianças, mulheres e idosos estão morrendo", ressalta. 

"Líderes de outros países esquecem que [Vladimir] Putin é um assassino que tem travado uma guerra a sangue frio por oito anos. Ele passou todos os limites aceitáveis", afirmou Iryna. 

Vivendo há dois anos sob a guerra, a modelo desabafa que o moral dos ucranianos tem diminuído com o tempo. "As pessoas estão enlouquecendo aqui". 

Ataque no começo da guerra

Iryna Bilotserkovets foi baleada na cabeça em 26 de fevereiro de 2022, enquanto tentava deixar a capital da Ucrânia três dias após o começo da invasão da Rússia. 

Na ocasião, ela estava dirigindo para casa por um bairro rico de Kiev, com seus três filhos, quando o carro em que estavam foi atingido por balas. A modelo ficou gravemente ferida e passou por meses de tratamento de emergência e cirurgia reconstrutiva. 

"Pontos, cicatrizes, feridas por toda parte. Eu era apenas o monstro de Frankenstein. Minha mandíbula se quebrou, como um galho. Eu não tenho mais um rosto bonito, mas o resto do meu corpo é lindo", contou ela.

A modelo agora trabalha com as forças culturais da Ucrânia para organizar eventos para as tropas. No total, ela teve que passar por quatro operações e perdeu um olho, teve a mandíbula quebrada e cicatrizes pelo corpo.

"Não era uma questão de preservar minha beleza, era uma questão de saber se eu viveria ou não. Os médicos na Ucrânia disseram que eu provavelmente iria morrer. Eu não concordei", afirmou.

A Playboy Ucrânia afirmou em comunicado que a modelo era uma heroína em sua edição 'Women Stay Strong', que analisa a "resiliência das mulheres ucranianas que foram feridas durante a guerra, mas que não perderam a sede pela vida".

Segundo o Daily Mail, desde que a Rússia lançou sua invasão no ano passado, a Playboy ucraniana produziu apenas edições online, sendo esta versão a primeira a ser impressa em mais de 18 meses.

Quem era Alexei Navalny, principal opositor de Putin na Rússia Quem era Alexei Navalny, principal opositor de Putin na Rússia

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade