PUBLICIDADE

Mundo

Scholz soa alarme após acusações de espionagem chinesa na extrema-direita

24 abr 2024 - 15h40
Compartilhar
Exibir comentários

O chanceler alemão Olaf Scholz disse nesta quarta-feira que as acusações de que um assessor de um importante político da extrema-direita fazia espionagem para a China são "muito preocupantes" e cobrou mais ações para eliminar esses casos. 

Classificando tentativas espionar a Alemanha como "inaceitáveis", Scholz falou ao lado do primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, em Berlim, após casos de espionagem chinesa eclodirem nos dois países na mesma semana. 

A Alemanha ficou em polvorosa após assessor de um membro do Parlamento Europeu pelo partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD, em alemão) ser preso na terça-feira. Ele é acusado de passar informações sobre discussões no Legislativo da União Europeia para agências de inteligência chinesas e de ter espionado a oposição chinesa. 

O caso trouxe um revés para o AfD, após a sigla ter se tornado a segunda mais popular da Alemanha antes das eleições europeias e locais deste ano.

Também alimentou preocupações mais amplas sobre a Europa como um alvo para operações de espionagem da China e da Rússia. A Alemanha havia prendido três pessoas nesta semana em um outro caso sobre fornecimento de tecnologia sensível à China com propósitos militares. 

As recentes prisões "não deveriam nos deixar complacentes, mas nos motivar a capturar aqueles que espionam a nós e nossa segurança em nossos países", disse Scholz. 

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, disse na terça-feira que relatos de espionagem chinesa na Europa eram "exagerados" e "tinham a intenção de desacreditar e diminuir a China". 

Escândalo semelhante atingiu o Reino Unido nesta semana, quando a polícia acusou dois homens de espionagem para a China, incluindo um que teria trabalhado como pesquisador no Parlamento britânico para um importante parlamentar do Partido Conservador, que está no poder.

Sunak se recusou a entrar em detalhes ao falar ao lado de Scholz.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade