0

Ryanair nega interesse em comprar Air Italy

Segunda maior empresa aérea italiana foi colocada em liquidação

13 fev 2020
10h16
atualizado às 10h40
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A companhia aérea de baixo custo irlandesa Ryanair negou nesta quinta-feira (13) que tenha interesse em comprar a Air Italy, segunda maior empresa de aviação civil da Itália e que foi colocada em liquidação.

Acionistas decidiram liquidar a Air Italy
Acionistas decidiram liquidar a Air Italy
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

"Vimos e ouvimos algumas notícias, mas queremos esclarecer que não há nenhum interesse da Ryanair em comprar a Air Italy", disse o diretor comercial da companhia irlandesa, David O'Brien, durante uma coletiva de imprensa em Milão.

"Se o acionista principal não quis investir, porque nós deveríamos fazê-lo?", acrescentou o executivo. A Air Italy é controlada pela empresa Alisarda, que detém 51% das ações e não quer mais colocar recursos na companhia aérea.

Sua sócia, a Qatar Airways (49% das ações), tentou buscar outros parceiros, mas a procura não deu resultado - a própria empresa árabe não poderia aumentar seu investimento para não ultrapassar o teto de 49% imposto pela União Europeia para grupos extracomunitários no capital de companhias aéreas do bloco.

Antiga Meridiana, a empresa mudou de nome para Air Italy no início de 2018, após ter sido resgatada pela Qatar Airways, que pretendia desafiar a Alitalia, maior empresa do setor no país e que também passa por uma crise financeira.

A Air Italy, no entanto, não conseguiu sanar suas finanças e fechou 2018 com prejuízo de 164 milhões de euros. Além disso, as perdas em 2019 podem ter superado os 200 milhões de euros.

"Lamentamos pelo caso da Air Italy e não estamos explorando esse episódio. Mas algumas coisas devem ser ditas: seu pessoal de bordo equivale a 50% do total, já o nosso corresponde a 85%. Esse dado diz muito sobre a eficiência das companhias aéreas", afirmou O'Brien, da Ryanair.

O executivo disse acreditar que, ao investir na Air Italy, a Qatar Airways não previsse que a Alitalia fosse resistir tanto tempo. A maior companhia aérea italiana tem a emiradense Etihad Airways como acionista (49%) e está sob intervenção do governo, que ainda não conseguiu encontrar um comprador.

Veja também:

Explosão no Líbano: BBC visita epicentro do desastre no porto de Beirute
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade