4 eventos ao vivo

Mais grisalho após 4 anos, Obama diz: 'é a luta por mudança'

5 nov 2012
22h03

No último dia de campanha para a presidência dos Estados Unidos, o candidato à reeleição Barack Obama discursou no Estado de Wisconsin, nesta segunda-feira, e pediu o apoio aos eleitores para seguir implementando "a verdadeira mudança" ao país. Para o democrata, os cabelos grisalhos que surgiram na sua cabeça provam todo o estresse causado durante o mandato pelo volume de trabalho.

Especiais
Entenda o funcionamento do processo eleitoral americano
Acompanhe as pesquisas nos Swing States, os Estados decisivos
Nesta eleição, o assunto é a economia; entenda

Ao longo dos quatro anos de governo, os cabelos do presidente Obama foram ganhando um tom acinzentado
Ao longo dos quatro anos de governo, os cabelos do presidente Obama foram ganhando um tom acinzentado
Foto: AFP

Especial traz reportagens dos bastiões democratas e republicanos
Infográfico mostra o poder do voto latino e o custo da campanha
Veja como foram os debates presidenciais

Perfis dos candidatos
Barack Obama: do sonho do idealismo ao esforço do realismo
Romney e os republicanos: entre o favoritismo e o ceticismo

"Quando eu digo que eu sei o que é a verdadeira mudança, vocês podem acreditar em mim. Porque me viram lutar por isso e me viram entregar isso. Vocês viram as cicatrizes em mim para provar. Vocês viram os cabelos brancos na minha cabeça para mostrar o que é lutar por mudança. Vocês estiveram comigo e depois de tudo o que passamos, não podemos desistir agora, porque temos mais mudanças a fazer", discursou Obama, ao lado do músico Bruce Springsteen.

A constatação de que o presidente está ficando cada vez mais grisalho, no entanto, surgiu logo no início de sua administração, em 2009. Em março daquele ano, o jornal Los Angeles Times notou os primeiros fios brancos na cabeça do presidente, então com 47 anos.

O periódico ainda brincou: "ninguém nega que presidentes ficam grisalhos na Casa Branca", e comparou Obama com fotos de George W. Bush, nos oito anos de sua gestão.

Com o passar dos anos de mandato, com preocupações aumentando (como o andamento da Guerra do Iraque e Afeganistão, captura de Osama bin Laden e a crise econômica mundial), o democrata ganhou um ar mais "maduro".

Segundo a primeira-dama Michelle, os cabelos brancos "são prova de que ele merece um segundo mandato", informou a ABC News, em agosto de 2011. Dois meses depois, Barack se justificou. Para ele, a genética influenciou bastante no "embranquecimento" dos fios.

"(Quando corto o cabelo) é exatamente quando eles desaparecem. Por isso as pessoas acham, de alguma forma, que estou descolorindo meu cabelo. Depende da luz, às vezes aparece, às vezes não", explicou ao USA Today. "Meu pai era grisalho aos 29 anos, então... eu me perguntava quando isso iria acontecer, mas coincidiu com a presidência."

Apesar de aceitar e até mesmo se orgulhar do novo visual, aos 50 anos, Obama aparece sem sinais de cabelos brancos em uma das fotos oficiais da sua campanha. Um "notável e jovial presidente com abundantes cabelos castanhos", de acordo com o britânico Daily Mail.

Americanos vão às urnas
Os americanos escolhem nesta terça-feira seu presidente. O atual mandatário, o democrata Barack Obama, disputa a preferência dos eleitores com o republicano Mitt Romney. Diferente do Brasil, as eleições americanas são indiretas. O candidato mais votado em cada Estado leva todos os seus delegados. No fim, o candidato com maior número de delegados - e não de votos - sai vencedor. O Terra, maior empresa latino-americana de mídia digital, faz a cobertura completa das eleições presidenciais nos EUA e acompanha a apuração de votos em tempo real.

Fonte: Terra
publicidade