PUBLICIDADE

OMS pede que fabricantes de vacinas adiantem doses do Covax

Escassez de suprimentos causada pela interrupção das exportações indianas preocupa organização

17 mai 2021 12h29
| atualizado às 13h10
ver comentários
Publicidade

O chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu que os fabricantes de vacinas contra Covid-19 disponibilizem doses ao esquema de compartilhamento de vacinas Covax antes do planejado devido a uma escassez de suprimentos causada pela interrupção das exportações indianas.

Vacinação em Nova Délhi
 16/4/2021 REUTERS/Adnan Abidi
Vacinação em Nova Délhi 16/4/2021 REUTERS/Adnan Abidi
Foto: Reuters

O Covax, que fornece doses a países mais pobres, depende muito das exportações de vacinas da AstraZeneca feitas pelo Instituto Serum da Índia, mas muitas destas estão sendo usadas no próprio país, que enfrenta uma segunda onda maciça de infecções.

Nesta segunda-feira, o chefe do Fundo de Emergência Internacional das Nações Unidas para a Infância (Unicef) pediu aos países do G7 que doem suprimentos como medida de emergência para compensar a carência, estimada em 140 milhões de doses, até o final de maio.

"Embora agradeçamos o trabalho da AstraZeneca, que vem aumentando constantemente a velocidade e o volume de suas entregas, precisamos que outros fabricantes sigam o exemplo", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em uma entrevista coletiva virtual.

Especificamente, ele pediu à Pfizer que adiante a entrega de cerca de 40 milhões de doses na segunda metade do ano e à Moderna que disponibilize neste ano doses prometidas para 2022.

"Precisamos de doses já, e pedimos a eles que adiantem as entregas o mais cedo possível", disse ele.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade