PUBLICIDADE

Morre cartunista que fez charge de Maomé e 'motivou' massacre

Kurt Westergaard tinha 86 anos e lutava contra 'longa doença'

19 jul 2021 12h07
| atualizado às 12h49
ver comentários
Publicidade

Morreu neste domingo (18), aos 86 anos, o cartunista dinamarquês Kurt Westergaard, famoso por desenhar uma caricatura do profeta Maomé que foi usada como "motivação" para extremistas cometerem o massacre na redação do jornal satírico "Charlie Hebdo" em 2015.

Kurt Westergaard tinha 86 anos e faleceu dormindo, segundo a família
Kurt Westergaard tinha 86 anos e faleceu dormindo, segundo a família
Foto: EPA / Ansa - Brasil

Em nota, a família informou que Westergaard lutava contra "uma longa doença", sem dar mais detalhes, e informou que ele "faleceu dormindo".

O dinamarquês fez a mais famosa das 12 caricaturas de Maomé e do Islã republicadas pelo "Charlie Hebdo" em 2012 para criticar a "censura" dos líderes islâmicos, já que qualquer representação do profeta - seja positiva ou não - é considerada "muito ofensiva".

A charge havia sido publicada pela primeira vez em 2005 pelo jornal conservador dinamarquês "Jyllands-Posten" e, à época, provocou uma crise formal para o governo do país com líderes de nações islâmicas. Até hoje, essa é considerada a maior crise política dinamarquesa desde a Segunda Guerra Mundial.

O efeito das imagens perdurou no tempo, com fortes manifestações contra a Dinamarca perante embaixadas ao redor do mundo. Em 2008, inclusive, a Inteligência chegou a prender três pessoas acusadas de planejarem o assassinato de Westergaard. Dois anos depois, um homem foi preso com uma faca na porta da residência do cartunista.

Já em 7 de janeiro de 2015, os irmãos Said e Chérif Kouachi, invadiram a sede do jornal satírico francês em Paris e mataram 12 pessoas, incluindo parte da equipe que trabalhava para a publicação. .
   

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade