0

Médicos dos EUA pedem dados de remdesivir para orientar tratamento de Covid-19

21 mai 2020
20h38
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Médicos dos Estados Unidos e outros membros da comunidade científica estão pedindo a publicação dos dados que convenceram os reguladores da área da saúde do país a autorizar o uso emergencial do medicamento antiviral remdesivir, da Gilead Sciences, para tratar a Covid-19, para assim direcionar os recursos limitados para as pessoas certas.

08/04/2020
Ulrich Perrey/Pool via REUTERS
08/04/2020 Ulrich Perrey/Pool via REUTERS
Foto: Reuters

O diretor-executivo da Vanda Pharmaceuticals, Mihael Polymeropoulos, publicou na quarta-feira uma carta aberta pedindo o download completo das conclusões dos testes que levaram à autorização emergencial do uso concedida pela Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês).

"E se o medicamento for mais indicado para pessoas no início do ciclo infeccioso? Se estivermos o administrando a pessoas com doença grave --seja por compaixão natural-- podemos estar desperdiçando o remédio", disse o CEO à Reuters.

Ele disse que a Vanda, que está desenvolvendo um medicamento anti-inflamatório para a Covid-19, está buscando "emprestar seu expertise".

O uso emergencial do remdesivir aprovado pela FDA no dia 1 de maio é baseado em resultados preliminares de um teste clínico do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA (NIAID), que mostrou que o medicamento reduziu o número de diárias hospitalares em 31%, ou cerca de quatro dias, comparado com um placebo. 

Nenhum outro detalhe do teste conduzido com 1.063 pacientes foi publicado. O instituto disse por email que um relatório sobre o testes seria publicado em algumas semanas. A Gilead não informou quando. 

Veja também:

"Ele poderia ter sido George Floyd", diz mãe ao lado de filho em protesto
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade