0

Manifestantes tomam ruas da Espanha após tribunal livrar 5 acusados de estupro coletivo em festival

26 abr 2018
18h12
  • separator
  • comentários

Milhares de manifestantes tomaram as ruas da Espanha nesta quinta-feira após um tribunal inocentar cinco homens do crime de estupro coletivo de uma adolescente em 2016 no festival de corrida de touros de São Firmino, em Pamplona.

Protesto em Oviedo contra acusados de estupro
 26/4/2018    REUTERS/Eloy Alonso
Protesto em Oviedo contra acusados de estupro 26/4/2018 REUTERS/Eloy Alonso
Foto: Reuters

O tribunal da região de Navarra, no norte do país, condenou nesta quinta-feira os homens, que gravaram vídeo do ataque em seus celulares e riram do incidente depois em um grupo no Whatsapp, pelo crime inferior de abuso sexual.

    A decisão gerou indignação e críticas imediatas. Milhares se juntaram em cidades pela Espanha, de Sevilha a Barcelona, e do lado de fora do Ministério da Justiça, em Madri, segurando cartazes dizendo "Eu acredito em você, irmã", e gritando "não é abuso, é estupro".

    Em Madri, homens e mulheres lotaram ruas centrais gritando "Vergonha! Vergonha!" e "'Não' é 'não'". Em Barcelona, milhares se juntaram na praça central batendo panelas e balançando suas chaves no ar.

    O chamado caso da "Matilha de Lobos" já havia provocado ampla ira na Espanha após preocupações por aumento de relatos de ataques sexuais no festival anual e por maus tratos às mulheres em geral.

O caso também atraiu atenção internacional, acontecendo em um momento de elevada preocupação global por abusos sexuais de mulheres após a revelação do escândalo envolvendo o produtor de cinema Harvey Weinstein.

Após um julgamento de cinco meses a portas fechadas para proteger a identidade da vítima, o juiz leu em voz alta as sentenças no tribunal em Navarra.

O promotor público pediu penas de prisão de mais de 20 anos para cada um dos homens. Em vez disso, eles receberam sentenças de nove anos.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade