PUBLICIDADE

Líderes da UE pedem cooperação com países de origem de migrantes

Conclusão foi adotada durante reunião dos países do bloco

24 jun 2021 20h44
| atualizado às 21h05
ver comentários
Publicidade

Os líderes dos 27 países-membros da União Europeia(UE) adotaram nesta quinta-feira (24) conclusões sobre a crise migratória, solicitando uma cooperação mútua para reforçar ações concretas e apoiar os países de origem e de trânsito dos migrantes.

Conselho Europeu condenou qualquer tentativa de exploração dos migrantes
Conselho Europeu condenou qualquer tentativa de exploração dos migrantes
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

"O Conselho Europeu debateu a situação migratória nas várias rotas. Apesar das medidas adotadas pela UE e os Estados-membros reduzirem os fluxos irregulares gerais nos últimos anos, os desenvolvimentos em algumas rotas causam sérias preocupações e requerem vigilância contínua e ação urgente", diz o documento.

Os líderes concluíram também que, "para prevenir a perda de vidas humanas e reduzir a pressão nas fronteiras da Europa, serão intensificadas as parcerias e cooperação mutuamente benéficas com os países de origem e de trânsito, como parte integrante da ação externa da União Europeia".

Segundo os representantes dos países do bloco, esta abordagem "será pragmática, flexível e personalizada" e fará uso coordenado "de todos os instrumentos e incentivos disponíveis na UE", além de ter lugar em estreita cooperação com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) e com a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

"Deve abordar todas as rotas e ser baseada em uma abordagem global, abordando as causas profundas, apoiando refugiados e pessoas deslocadas na região, desenvolvendo capacidades de gestão de migração, erradicando o contrabando e o tráfico, fortalecendo o controle de fronteiras, abordando a migração legal de acordo com as competências nacionais e garantindo o repatriamento e readmissão", acrescenta o texto final.

Por fim, os líderes convidam a Comissão e o Alto Representante a apresentarem, no outono deste ano, planos de ação para os países prioritários de origem e de trânsito, "indicando objetivos claros, novas medidas de apoio e calendários concretos".

Além disso, o "Conselho Europeu condenou e rejeitou qualquer tentativa de países terceiros de explorar os migrantes para fins políticos".

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade