PUBLICIDADE

Joe Biden diz que irá alertar Putin sobre 'linhas vermelhas'

Encontro entre líderes acontecerá na próxima quarta-feira (16)

14 jun 2021 19h29
| atualizado às 20h11
ver comentários
Publicidade

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, antecipou nesta segunda-feira (14), em Bruxelas, que irá falar ao seu homólogo russo, Vladimir Putin, durante a cúpula entre os dois no próximo dia 16 de junho, quais são as "linhas vermelhas" que não podem ser cruzadas.

Joe Biden e Vladimir Putin vão se reunir na próxima quarta-feira (16)
Joe Biden e Vladimir Putin vão se reunir na próxima quarta-feira (16)
Foto: Ansa / Ansa - Brasil

"É nosso interesse comum e do interesse do mundo que cooperemos. E veremos se podemos fazê-lo. E nas áreas em que não estivermos de acordo, deixar claro para ele quais são as linhas vermelhas", afirmou Biden em entrevista coletiva.

Durante o discurso, o democrata ainda ressaltou que o presidente russo é "brilhante, resistente e um adversário digno". Biden também lembrou que todos os líderes mundiais o agradeceram pela cúpula.

Além disso, o líder americano comentou a situação de Alexei Navalny, opositor a Putin que está preso na Rússia, e avaliou que sua eventual morte seria uma "tragédia", além de prejudicar as relações de Moscou com os EUA e o restante do mundo.

"A morte de Navalny seria outra indicação de que a Rússia tem pouca ou nenhuma intenção de respeitar os direitos humanos fundamentais básicos, seria uma tragédia, não faria nada além de prejudicar as relações com o resto do mundo, e comigo", afirmou.

Biden ainda enfatizou que apoia a soberania da Ucrânia e disse que defenderá sua "integridade territorial". Por fim, condenou as "ações agressivas" da Rússia, que, em 2014, anexou ao seu território a península da Crimeia, e alertou que o governo ucraniano precisa erradicar a corrupção.

"Faremos o possível para que a Ucrânia consiga resistir à agressão", acrescentou. "Os Estados Unidos não procuram um conflito com a Rússia, mas responderão se Moscou continuar suas atividades hostis".

Turquia -

Antes da coletiva de imprensa, Biden se encontrou com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, e classificou a reunião como positiva e produtiva.

Segundo o democrata, os EUA e a Turquia têm grandes agendas e ele está confiante de que o progresso vai ser feito em breve nas relações com Ancara.

"Estou confiante de que faremos progressos reais", disse Biden, ressaltando que ambos os líderes vão trabalhar para aumentar a cooperação no futuro, na esperança de que o mecanismo de diálogo comum seja restaurado".

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade