PUBLICIDADE

Mundo

Javier Milei toma posse como presidente da Argentina e anuncia forte ajuste fiscal em 1º discurso

Depois de receber a faixa presidencial, Milei fez discurso do lado de fora do Congresso

10 dez 2023 - 11h19
(atualizado às 13h11)
Compartilhar
Exibir comentários

ENVIADA ESPECIAL A BUENOS AIRES - O libertário Javier Milei tomou posse neste domingo, 10, como presidente da Argentina para um mandato de quatro anos com o desafio de solucionar uma profunda crise econômica e construir alianças para garantir sua governabilidade.

Em seu discurso, o novo presidente disse que “não há dinheiro”, é preciso fazer “um tratamento de choque”, porque “não há espaço para o gradualismo”, prometeu um “forte ajuste nas contas públicas” e disse que recebeu a “pior herança de um governo na história”.

Ele entrou no prédio do Congresso Nacional pouco antes do meio dia, onde assinou o livro de juramento com seu bordão, “Viva la libertad, carajo!”, e recebeu o mandato presidencial de Alberto Fernández. Sua vice, Victoria Villarruel recebeu o cargo de Cristina Kirchner.

Seus apoiadores tomaram as ruas próximas ao Congresso Nacional da Argentina, onde ocorreu a cerimônia de posse, e vibravam e agitavam bandeiras da Argentina ao ouvir Milei defender a expansão dos serviços privados e corte nos serviços públicos.

Seu discurso, que até então era um segredo conhecido apenas por seu círculo mais próximo, repetiu jargões de campanha e do pronunciamento de vitória em novembro. Desta vez, no entanto, o libertário focou em apontar o que será sua “herança” do governo anterior. “Muito se fala da herança que vamos receber. Nenhum governo recebeu uma herança pior do que a que está recebendo nós”.

De fato, segundo economista, Milei receberá uma inflação três vezes maior do que os dois governos anteriores. Uma situação que se assemelha apenas a 2001, quando a crise do corralito provocou a fuga do presidente argentino Fernando de Lá Rua em um helicóptero da Casa Rosada, e uma sequencia de cinco presidentes em 12 dias.

A nova vice-presidente da Argentina, Victoria Villarruel, e o presidente da Argentina, Javier Milei, se abraçam durante a cerimônia de posse no Congresso Nacional, em Buenos Aires, Argentina, em 10 de dezembro de 2023
A nova vice-presidente da Argentina, Victoria Villarruel, e o presidente da Argentina, Javier Milei, se abraçam durante a cerimônia de posse no Congresso Nacional, em Buenos Aires, Argentina, em 10 de dezembro de 2023
Foto: REUTERS/Matias Baglietto

13h35 - Milei anuncia medidas fiscais e afirma: ‘Não há mais dinheiro’

O novo presidente da Argentina afirma que será necessário um tratamento de choque para resolver o problema econômico da Argentina: “todos os programas gradualistas falharam, enquanto os de choque foram bem sucedidos. Os empresários não vão investir sem o ajuste fiscal”

“Vou dizer isso de uma vez: não há dinheiro”, afirmou Milei. “Não há alternativas ao ajuste e ao choque. Naturalmente vai afetar o nível de emprego e de pobres e Miseráveis, nas nada diferente do que aconteceu nos últimos 12 anos. É um primeiro gole amargo para começarmos a reconstrução da Argentina”

12h18 - Javier Milei faz primeiro discurso como presidente da Argentina e promete ‘uma nova era’

“Olá a todos”, disse Javier Milei aos seus seguidores do exterior do Congresso, ao som da canção Panic Show, de La Renga. Foi assim que começou o seu primeiro discurso como presidente.

“Hoje começa uma nova era na Argentina; hoje termina uma longa era de declínio e começamos a reconstrução do país. Os argentinos expressaram de forma esmagadora uma vontade de mudança que não tem retorno. Não há volta atrás”.

“Hoje começamos a reconstrução do nosso país. Os argentinos exprimiram de forma esmagadora um desejo de mudança que já não pode voltar atrás. Vamos enterrar décadas de fracasso e de disputas sem sentido. Está a começar uma era de paz e prosperidade, de liberdade e progresso”, disse o novo presidente.

Ele também afirmou que recebeu a “pior herança de um governo na história” e promete lutar contra a inflação com “unhas e dentes”.

“Tal como a queda do Muro de Berlim marcou o fim de uma era trágica para o mundo, estas eleições marcaram o ponto de viragem da nossa história”, afirmou Javier Milei. “Nenhum governo recebeu uma herança pior do que a que estamos a receber”. Ele disse que “haverá um ajuste fiscal de 5 pontos do PIB que recairá sobre o setor público”.

11h55 - Milei faz juramento em cerimônia e toma posse como presidente da Argentina

O Presidente eleito Javier Milei chegou ao Congresso acompanhado pela sua irmã e foi recebido pelos Granadeiros. Na porta, ele foi recebido por sua vice-presidente, Victoria Villarruel, que também tomará posse hoje. Eles foram recebidos por Cristina Kirchner, e pelo presidente da Câmara dos Deputados, Martín Menem.

Cristina Kirchner guiou Milei e Villarruel ao longo do percurso e enquanto assinavam o livro de atas da Constituição. “Viva la libertad carajo”, escreveu Milei no livro.

“Vamos convidar o presidente eleito a fazer o juramento de posse”, disse Cristina Kirchner alguns minutos depois, já no púlpito do Congresso Nacional. Quando entrou, os deputados apoiadores de Milei gritaram: “Liberdade, liberdade”.

De imediato, Milei prestou juramento: Javier Milei: “Juro por estes santos evangelhos desempenhar com patriotismo o cargo de presidente da Argentina e observar fielmente o que determina a constituição da Argentina”.

Alberto Fernández colocou em Milei a faixa presidencial e entregou o bastão de comando. Depois de cumprimentar Fernández e Cristina Kirchner, Milei foi primeiro dar um abraço e um beijo em Mauricio Macri.

Cristina Kirchner foi em seguida dar posse a Victoria Villarruel. Depois disso, e enquanto conversava e ria com Milei, a líder da Unión por la Patria saiu sem cumprimentar o seu sucessor.

11h33 - Javier Milei deixa o hotel Libertador em direção ao Congresso para a posse

Acompanhado pela sua irmã Karina, o presidente eleito Javier Milei deixou o Hotel Libertador, em que estava hospedado, em direção ao Congresso, onde acontecerá a cerimônia de posse.

Ambos acenaram aos apoiadores que vieram incentivar o futuro presidente com bandeiras e camisetas e aos gritos de “libertad, libertad, libertad”

11h25 - Milei é declarado oficialmente como presidente da Argentina

A atual vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, conduziu a abertura da cerimônia de transmissão de poder para o presidente eleito, Javier Milei, e anunciou formalmente o libertário como presidente.

Muitos congressistas presentes na cerimônia comemoraram o anúncio e entoaram gritos de “Libertad, Libertad, Libertad”. O presidente eleito fará o juramento em cerimônia de posse realizada no Congresso Nacional em instantes.

11h15 - Cerimônia de posse de Javier Milei começa em Buenos Aires

Presidente eleito Javier Milei fará juramento no Congresso Nacional em instantes. Com a Assembleia Legislativa cheia, teve início a cerimônia que consagrará Javier Milei como presidente.

A atual vice-presidente Cristina Kirchner está sentada na tribuna, ao lado do recém-eleito presidente da Câmara dos Deputados, Martín Menem. Enquanto isso, Jair Bolsonaro assiste à sessão na primeira fila, ao lado de Eduardo Duhalde e Adolfo Rodríguez Saá.

11h05 - O ex-presidente Jair Bolsonaro chega ao Congresso da Argentina para a posse de Javier Milei

O ex-presidente brasileiro Jair Bolsonaro chegou ao Congresso argentino para acompanhar a posse de Javier Milei como presidente da Argentina. Ele ficará no mesmo patamar que líderes em exercício como Luis Lacalle Pou, Gabriel Boric e Volodmir Zelenski. Enquanto Luiz Inácio Lula da Silva confirmou que não estará presente no ato, enviando o chanceler Mauro Vieira em seu lugar, Bolsonaro desembarcou nesta quinta-feira, 7, com uma comitiva de 50 pessoas e provocou alvoroço nas ruas de Buenos Aires.

10h59 - Com Zelenski, Argentina reforça segurança e usa blindados e drones em posse

A segurança em Buenos Aires foi reforçada para a posse do presidente eleito da Argentina, Javier Milei, que terá a presença do presidente ucraniano, Volodimir Zelenski.

Sete mil agentes foram mobilizados para o evento. Militares, forças federais e a polícia de Buenos Aires foram destacados para garantir a segurança da posse, além de veículos blindados, drones e helicópteros.

Zelenski desembarcou na Argentina na madrugada de hoje sob forte esquema de segurança — um protocolo para a derrubada de aviões que sobrevoassem o espaço aéreo argentino sem autorização foi adotado, conforme o jornal local Clarín.

O avião de Zelenski pousou na base da Força Aérea Brasileira (FAB), em Brasília, na noite de sábado, 9. De acordo com a assessoria da FAB, a aeronave ficou cerca de 2 horas em solo brasileiro para uma parada técnica, antes de seguir viagem para Buenos Aires, na Argentina.

10h55 - Argentinos em frente ao Congresso celebram em posse de Milei

Quem se reune do lado de fora do prédio do Congresso Nacional se diz emocionado em esperar a chegada de Javier Milei na Praça do Congresso. Ignacio Acosta, 26, comemorava junto com seu pai, Eduardo Acosta, 56, vestindo uma bandeira da Argentina e segurando uma bandeira do Leão, símbolo de Milei e seu partido, A Liberdade Avança. “Estou muito feliz porque não queria viver em uma Venezuela dentro da Argentina”, disse Ignacio. Eduardo também celebrava haver afastado o risco do comunismo no país.

10h45 - Apoiadores e aliados chegam para a posse de Javier Milei

Desde antes das 8h da manhã, Apoiadores de Javier Milei começaram a chegar na Praça do Congresso, onde o libertário será empossado presidente da Argentina. Portando bandeiras da Argentina, bem como do partido A Liberdade Avança, os argentinos se reuniam em frente ao prédio do Congresso Nacional onde Milei deve chegar por volta das 11h. Lá dentro, ele receberá o bastão e a faixa presidencial de Alberto Fernández e fará o juramento aos legisladores.

Em vez de fazer o discurso de dentro do Congresso, o presidente preferiu falar para o seu público, do lado de fora, imitando a tradição americana de falar em frente ao prédio do Parlamento.

Um enorme esquema de segurança isola toda a área ao redor do Congresso, com grades de proteção e agentes da Polícia formando o cordão por toda a Avenida de Mayo, do Congresso até a Casa Rosada, onde Milei seguirá após o discurso.

Apoiadores de Javier Milei se reúnem na frente do Congresso da Argentina para acompanhar a posse do libertário em Buenos Aires, em 10 de dezembro de 2023
Apoiadores de Javier Milei se reúnem na frente do Congresso da Argentina para acompanhar a posse do libertário em Buenos Aires, em 10 de dezembro de 2023
Foto: Carolina Marins / Estadão / Estadão

Saiba quem vai participar da posse de Milei

Pela previsão, às 13h Milei deve estar na Casa Rosada, onde receberá as delegações estrangeiras. Ali deve estar Jair Bolsonaro, com quem o libertário se reuniu na última sexta-feira, 7, e que deve receber o mesmo tratamento que chefes de Estado em exercício. Luiz Inácio Lula da Silva não participará da cerimônia, enviando o chanceler Mauro Vieira.

Além de Bolsonaro, o rei Felipe VI da Espanha estará presente, junto com Santiago Peña do Paraguai, Viktor Orbán da Hungria e até o nome de Volodmir Zelenski foi confirmado pela equipe do libertário, embora não houvesse informações de chegada do ucraniano até sábado à noite. Se vier, será a primeira vez que Zelenski visitará a América Latina.

Da América Latina, estarão presentes Luis Lacalle Pou, presidente do Uruguai, Gabriel Boric, presidente do Chile, Santiago Peña, presidente do Paraguai, Nayib Bukele, presidente de El Salvador, Daniel Noboa, presidente do Equador, Renato Florentino Pineda, vice-presidente de Honduras, Álvaro Leyva, ministro das Relações Exteriores da Colômbia e Javier González-Olaechea, ministro das Relações Exteriores do Peru.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade