PUBLICIDADE

Mundo

Israel e Hamas cumprem trégua e discutem novas prorrogações

28 nov 2023 - 09h19
Compartilhar
Exibir comentários

As forças israelenses e os combatentes do Hamas estavam cumprindo uma trégua pelo quinto dia nesta terça-feira, depois que um cessar-fogo de quatro dias foi prorrogado no último minuto por pelo menos dois dias para permitir que mais reféns sejam libertados.

Prédios destruídos por ataques israelenses em Gaza
 28/11/2023   REUTERS/Alexander Ermochenko
Prédios destruídos por ataques israelenses em Gaza 28/11/2023 REUTERS/Alexander Ermochenko
Foto: Reuters

Uma única coluna de fumaça preta podia ser vista acima do terreno da zona de guerra ao norte de Gaza, do outro lado da cerca em Israel, mas não havia sinal de jatos no céu ou de explosões.

Ambos os lados relataram alguns disparos de tanque israelense no distrito de Sheikh Radwan, na Cidade de Gaza, pela manhã, mas não houve relatos imediatos de vítimas. Um porta-voz das Forças de Defesa de Israel disse: "Depois que os suspeitos se aproximaram das tropas da IDF, um tanque da IDF disparou um tiro de advertência".

Durante a trégua, os combatentes do Hamas libertaram 50 mulheres e crianças israelenses, dentre os 240 reféns que capturaram no sul de Israel durante um ataque mortal em 7 de outubro. Em troca, Israel libertou 150 detentos de segurança de suas prisões, todos mulheres e adolescentes.

O Hamas também libertou separadamente 19 reféns estrangeiros, principalmente trabalhadores rurais tailandeses, em acordos separados paralelos ao acordo de trégua.

Israel disse que a trégua poderia se estender, desde que o Hamas continuasse a libertar pelo menos 10 reféns por dia. Mas com menos mulheres e crianças em cativeiro, manter as armas em silêncio além de quarta-feira pode exigir negociações para libertar pelo menos alguns homens israelenses pela primeira vez.

"Esperamos que a Ocupação (Israel) cumpra (o acordo) nos próximos dois dias, porque estamos buscando um novo acordo, além de mulheres e crianças, por meio do qual outras categorias que temos possam ser trocadas", disse Khalil Al-Hayya, do Hamas, à Al Jazeera no final da segunda-feira.

Isso, segundo ele, implicaria em "um período de tempo adicional para continuar a troca de pessoas nesse estágio".

O ministro do gabinete de segurança israelense, Gideon Saar, disse à Rádio do Exército que a prorrogação de dois dias havia sido acordada nos termos da oferta original e que Israel continuava disposto a estender a trégua ainda mais se mais reféns forem libertados.

"Imediatamente após a conclusão da estrutura de recuperação de reféns, o combate será renovado", afirmou ele. "Temos toda a intenção de implementar os objetivos da guerra no que se refere à derrubada do Hamas em Gaza."

O Catar, principal mediador da trégua nas negociações que também envolvem o Egito e os Estados Unidos, estava agora tentando garantir uma nova prorrogação com base na libertação de mais reféns pelo Hamas, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Majed Al-Ansari.

Até o momento, a pausa trouxe a primeira trégua para a Faixa de Gaza em sete semanas, durante as quais Israel bombardeou áreas do território, especialmente o norte, incluindo a Cidade de Gaza. Mais ajuda conseguiu chegar ao território, que estava sob um cerco israelense total.

Israel jurou aniquilar o Hamas, o grupo militante que governa Gaza, depois que seus homens armados atravessaram a cerca e fizeram uma devastação, matando cerca de 1.200 pessoas e capturando 240 prisioneiros.

Desde então, as autoridades de saúde de Gaza, consideradas confiáveis pelas Nações Unidas, afirmam que mais de 15.000 pessoas foram confirmadas como mortas no bombardeio israelense, cerca de 40% delas crianças, e teme-se que muitos outros mortos estejam sob os escombros.

Mais de dois terços dos 2,3 milhões de habitantes de Gaza perderam suas casas, ficando presos dentro do enclave, com os suprimentos se esgotando, e milhares de famílias dormindo em abrigos improvisados apenas com os pertences que podem carregar.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade