PUBLICIDADE

Mundo

Israel confirma ter atacado campo de refugiados e palestinos afirmam que há dezenas de mortos

Comandante das forças israelenses disse que comandante do Hamas estava escondido entre civis palestinos; campo de Jabalia foi atingido e imagens mostram dezenas de pessoas feridas, incluindo crianças

31 out 2023 - 16h06
(atualizado às 16h43)
Compartilhar
Exibir comentários
Explosão em Gaza
Explosão em Gaza
Foto: Reuters / BBC News Brasil

Um ataque israelense contra o campo de refugiados de Jabalia, no norte da Faixa de Gaza, deixou dezenas de mortos e feridos nesta terça-feira (31/10), segundo autoridades do território palestino.

O Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas, e o vizinho Hospital Indonésio, para onde a maioria dos feridos foram transferidos, contabilizaram pelo menos 50 mortes.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros em Ramallah, na Cisjordânia, indicou posteriormente que o número total de mortos e feridos ultrapassava os 400, alguns deles mulheres e crianças.

As autoridades palestinas compararam o acontecimento desta terça-feira com a explosão no hospital Al-Ahli, no centro da cidade, em 17 de outubro, na qual cerca de 500 pessoas morreram.

Pouco após a explosão, o governo de Gaza, controlado pelo Hamas, atribuiu a nova explosão a um ataque aéreo israelense.

Israel, que há três semanas iniciou intensos bombardeios em Gaza após um ataque do Hamas que deixou cerca de 1.400 mortos, confirmou que caças israelenses realizaram o ataque.

O porta-voz das Forças de Defesa de Israel (IDF, na sigla em inglês), Daniel Hagari, confirmou que o campo de refugiados foi o alvo do bombardeio e também afirmou que o ataque matou um comandante sênior e causou o colapso da infraestrutura subterrânea do Hamas.

Ele disse também que o ataque matou vários outros membros do Hamas que estavam no mesmo prédio do comandante e no subsolo.

Segundo Hagari, o ataque ao prédio levou ao colapso de outros edifícios, que, segundo ele, tinham "infraestrutura muito extensa".

"O objetivo dessa infraestrutura era realizar atividades terroristas contra as nossas forças", diz Hagari, que afirmou que toda essa infraestrutura entrou em colapso.

Desde 7 de outubro, mais de 8.500 pessoas morreram em Gaza, segundo as autoridades locais.

Foi assim que ficou o campo de refugiados após a explosão
Foi assim que ficou o campo de refugiados após a explosão
Foto: Reuters / BBC News Brasil

Grandes crateras

Fotografias divulgadas pela agência Reuters mostram a devastação no local, com pessoas procurando sobreviventes e retirando corpos dos escombros.

As imagens mostram grandes crateras de impacto cercadas por detritos de concreto e aço de edifícios desabados.

Há também fotografias que mostram crianças aparentemente gravemente feridas ou mortas.

Localizado ao norte da Cidade de Gaza, Jabalia é o maior dos oito campos de refugiados de Gaza.

Em julho de 2023, 116.000 refugiados palestinos viviam no local, de acordo com registos da ONU.

Palestinos buscam pessoas debaixo dos escombros de prédios
Palestinos buscam pessoas debaixo dos escombros de prédios
Foto: Reuters / BBC News Brasil

Os refugiados começaram a se instalar neste campo após a Guerra Árabe-israelense de 1948.

É uma área pequena, mas densamente povoada, de edifícios residenciais que ocupa 1,4 quilômetros quadrados.

Jabalia tinha 26 escolas em 16 edifícios, um centro de distribuição de alimentos, dois centros de saúde, uma biblioteca e sete poços de água.

Assim como o campo de Shati, está localizado na área de onde Israel ordenou que a população saísse o mais rápido possível.

Nesta terça, Hagari afirmou que o Hamas continua a usar a população civil como escudo intencionalmente "e de uma forma muito cruel e brutal".

O porta-voz das IDF também reiterou o apelo para que as pessoas no norte da Faixa de Gaza se dirijam para o sul.

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade