PUBLICIDADE

Mundo

Israel anuncia 'cerco total' a Gaza após ataques terroristas: 'Sem eletricidade, comida, nem água'

Forças israelenses realizaram mais de 500 ataques aéreos e de artilharia contra alvos do Hamas, em Gaza

9 out 2023 - 13h05
(atualizado às 13h16)
Compartilhar
Exibir comentários
Palestino observa estragos em uma escola na cidade de Gaza, que foi destruída durante a noite em um ataque aéreo israelense
Palestino observa estragos em uma escola na cidade de Gaza, que foi destruída durante a noite em um ataque aéreo israelense
Foto: Majdi Fathi/NurPhoto via Getty Images

O Exército de Israel retomou o "controle total" das localidades do sul de Israel atacadas desde o início da ofensiva no sábado pelo grupo terrorista palestino Hamas a partir de Gaza, declarou um porta-voz militar, no terceiro dia da guerra entre Israel e o movimento palestino.

"Temos controle das comunidades", disse o general Daniel Hagari, porta-voz do Exército israelense, em uma declaração televisionada à imprensa, que não descartou "ainda ter terroristas na área".

O ministro israelense da Defesa, Yoav Gallant, ordenou nesta segunda-feira, 9, um "cerco total" à Faixa de Gaza, no terceiro dia de combates após o lançamento de uma ofensiva militar do grupo palestino Hamas, a partir do enclave.

"Estamos impondo um cerco total à Gaza (...) nem eletricidade, nem comida, nem água, nem gás, tudo bloqueado", disse Gallant em um vídeo, referindo-se à população do território palestino, habitado por 2,3 milhões de pessoas.

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, prometeu 'mudar o Oriente Médio' na guerra do país contra o Hamas. "O que o Hamas irá experienciar será difícil e terrível… vamos mudar o Oriente Médio", disse o líder a autoridades do sul de Israel. "Este é apenas o começo… estamos todos com vocês e vamos derrotá-los com força, uma força enorme."

Em três dias de guerra, desde o início da ofensiva do Hamas na madrugada de sábado, já morreram mais de 1.300 pessoas, 900 em solo israelense e mais de 400 na Faixa de Gaza.

Terceiro dia da guerra

Os combates entre o exército de Israel e os guerrilheiros do Hamas em território israelense continuam nesta segunda-feira em "sete ou oito" locais ao redor da Faixa de Gaza três dias depois de um ataque surpresa sem precedentes a partir de Gaza, em que os combatentes do Hamas, apoiados por uma saraivada de milhares de foguetes, romperam a barreira de segurança israelense e invadiram as comunidades vizinhas.

Os terroristas levaram prisioneiros para o enclave costeiro de Gaza, incluindo mulheres, crianças e idosos, que provavelmente tentarão trocar por milhares de prisioneiros palestinos detidos por Israel. Segundo informações do governo israelense, são mais de 100 reféns.

Mais de mil mortos e 4 mil feridos já foram contabilizados, desde a ofensiva do grupo terrorista palestino, no sábado. Segundo o jornal The Washington Post, as Forças Armadas de Israel planejam ataques terrestres em massa massivo em Gaza nas próximas 48 horas.

"Ainda estamos lutando. Há sete ou oito lugares em terreno limpo ao redor (da Faixa de Gaza) onde ainda temos guerreiros lutando contra terroristas", disse o tenente-coronel Richard Hecht.

Durante a noite, Israel realizou mais de 500 ataques aéreos e de artilharia contra grupos militantes do Hamas e da Jihad Islâmica, no enclave palestino governado pelo movimento islâmico palestino.

Além disso, os combatentes do Hamas e da Jihad Islâmica capturaram uma centena de cidadãos de Israel, tanto militares quanto civis. (*Com informações da agências de notícias AFP)

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade