PUBLICIDADE

Mundo

Índia e África do Sul bloqueiam amplo acordo sobre investimentos em reunião da OMC

29 fev 2024 - 11h22
Compartilhar
Exibir comentários

Índia e África do Sul apresentaram uma objeção formal contra um acordo de investimentos em uma reunião da Organização Mundial do Comércio (OMC) em Abu Dhabi, bloqueando sua adoção em uma ação que, segundo observadores, pode barrar centenas de bilhões de dólares em investimentos.

O acordo firmado por cerca de 125 países, ou cerca de 75% dos membros da OMC, visa simplificar a burocracia, melhorar o ambiente de negócios e incentivar o investimento estrangeiro direto.

Mas, de acordo com as regras da OMC, qualquer um de seus 164 membros pode impedir que um acordo seja adotado pelo órgão -- uma medida que é necessária para garantir que os países estejam em conformidade.

"Ressaltamos que, dada a falta de consenso exclusivo, esse não é um assunto para a agenda (da reunião)", mostrou um documento da OMC.

As delegações da Índia e da África do Sul não fizeram comentários públicos de imediato sobre o assunto.

Um delegado ocidental presente nas negociações chamou de "irônico que a Índia e a África do Sul estejam no caminho de algo com benefícios tão evidentes para os países em desenvolvimento".

A iniciativa, conhecida como Acordo de Facilitação de Investimentos para o Desenvolvimento (IFD, na sigla em inglês), liderada por Chile e Coreia do Sul com o forte apoio da China, poderia resultar em melhorias de 200 bilhões a 800 bilhões de dólares no bem-estar global, de acordo com um estudo.

As negociações de quatro dias da OMC para definir novas regras de comércio global em uma ampla gama de tópicos, incluindo pesca e agricultura, devem ser encerradas nesta quinta-feira, embora os delegados tenham dito que pouco progresso foi feito até agora, exceto a adesão formal de dois novos membros ao órgão: Timor-Leste e Comores.

Na terça-feira, o chefe de comércio dos Estados Unidos descartou um acordo sobre a reforma do sistema de solução de controvérsias da OMC, prejudicado por quatro anos devido às objeções norte-americanas

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade