PUBLICIDADE

Homem negro paraplégico arrancado de carro chama polícia de Dayton, nos EUA, de "desumana"

11 out 2021 20h35
ver comentários
Publicidade

Um homem negro paraplégico acusou o Departamento de Polícia de Dayton, no Estado norte-americano do Ohio, de discriminação racial e brutalidade após policiais pararem seu carro e o arrastarem para fora pelos cabelos até a rua depois de ouvirem que o homem não podia usar as pernas.

Durante o final de semana, Clifford Owensby, de 39 anos, disse que abriu uma queixa através do grupo de defesa dos direitos civis NAACP com o departamento de polícia por conta da prisão por suspeita de crime relacionado a drogas, que aconteceu no dia 30 de setembro.

"Eles me arrastaram que nem um cachorro, que nem lixo", disse Owensby em uma entrevista coletiva no domingo, chamando o tratamento de desumano e dizendo que não fez nada de errado. "Foi humilhação total, foi ódio em seu estado mais puro."

Na sexta-feira, a polícia de Dayton publicou uma declaração e o vídeo da câmera corporal de um dos policiais, dizendo que o departamento estava trabalhando para melhorar "as relações entre polícia e comunidade" desde junho de 2020, quando protestos agitaram cidades por todo mundo por conta do assassinato de George Floyd, um homem negro, por um policial branco em Mineápolis.

No comunicado, a polícia de Dayton diz que os policiais estavam observando uma "suposta casa de drogas" e pararam Owensby depois que o viram deixar a casa em seu carro.

O vídeo mostra Owensby explicando que o menino de 3 anos de idade no banco de trás é seu filho, antes de entregar sua identificação, que, segundo a polícia, revelou que ele havia sido condenado por posse ilegal de drogas e armas. O policial diz então que ele deve sair do carro para que possa ser checado por um cão farejador da polícia.

"Não posso sair do carro, senhor, sou paraplégico", diz Owensby no vídeo.

"Bem, vou ajudá-lo a sair", diz o policial.

"Não acho que isso vá acontecer, senhor", responde Owensby, pedindo para falar com um supervisor de polícia. Os homens discutem, com Owensby dizendo que "haverá um processo" se a polícia colocar as mãos nele; ele liga para alguém em seu telefone.

O policial exaspera-se: "Você pode cooperar e sair do carro ou eu posso arrastá-lo para fora do carro"

Um dos policiais puxa Owensby para fora do carro enquanto ele grita pedindo ajuda e os policiais o algemam com ele no chão. Ele é arrastado pela rua enquanto suas calças caem até seus tornozelos, deixando suas roupas de baixo à mostra.

Uma sacola contendo 22.450 dólares em dinheiro foi encontrada no carro de Owensby, que o cão farejador indicou ter estado perto de drogas ilegais, disse a polícia de Dayton em seu comunicado. A polícia disse que estava investigando o episódio.

Owensby disse a repórteres que estava devolvendo aparelhos de TV a cabo de uma propriedade que administra para a empresa de TV a cabo. Ele disse que o dinheiro era uma economia, que nenhuma droga ou arma foi encontrada em seu veículo e que ele não foi acusado de nenhum crime relacionado a drogas. A mídia local disse que ele foi acusado de resistir à prisão.

A polícia de Dayton não respondeu a perguntas.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade