0

Padre americano é preso nas Filipinas por crimes sexuais

Kenneth Bernard Hendricks foi detido em sua casa e será deportado aos Estados Unidos

6 dez 2018
10h22
atualizado às 11h26
  • separator
  • comentários

As forças da segurança das Filipinas prenderam um padre católico norte-americano de 77 anos que era alvo de um mandado de prisão por crimes sexuais emitido por um tribunal dos Estados Unidos. A informação foi dada pela porta-voz das autoridades de imigração do país asiático, Dana Krizia Sandoval, nesta quinta-feira (6).

Segundo o comunicado, Kenneth Bernard Hendricks foi preso na quarta-feira em sua casa em Naval, na ilha central remota de Biliran - onde era padre há 37 anos -, devido a acusações de dezenas crianças. Ele deverá ser deportado.

Interior de igreja católica em Manila 22/09/2017 REUTERS/Dondi Tawatao
Interior de igreja católica em Manila 22/09/2017 REUTERS/Dondi Tawatao
Foto: Reuters

"Não permitiremos que predadores sexuais abusem de nossas crianças", disse a porta-voz.

Hendricks foi mandado de avião à capital Manila, onde a embaixada dos EUA está adotando medidas que permitam sua deportação para ouvir acusações no Estado norte-americano de Ohio, acrescentou.

"Estou triste por ir embora da cidade", disse Hendricks, algemado, à televisão após sua prisão, mas sem mencionar o caso.

A Igreja o afastou de suas tarefas clericais depois de iniciar um inquérito formal mais de um mês atrás, disse o padre John Estina, da diocese católica de Biliran, acrescentando que a instituição cooperou com as autoridades civis.

A medida veio em resposta a um pedido do Departamento de Segurança Interna dos EUA porque Hendricks foi indiciado por se envolver em conduta sexual ilícita no exterior, explicou Bobby Raquepo, que chefia a unidade de busca de fugitivos do escritório de imigração.

Veja também:

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade