PUBLICIDADE

Cartunistas turcos são condenados por insultar presidente

Chargistas desenharam Recep Tayyip Erdogan de forma ofensiva e terão de pagar multa de mais de R$ 8 mil

25 mar 2015 12h12
| atualizado às 15h49
ver comentários
Publicidade
<p>Erdogan dirige a Turquia desde 2003</p>
Erdogan dirige a Turquia desde 2003
Foto: Umit Bektas / Reuters

Dois chargistas do jornal satírico turco Penguen foram condenados a 11 meses de prisão por um tribunal de Istambul por insultar o presidente islamita-conservador Recep Tayyip Erdogan, indicou nesta quarta-feira o jornal Hürriyet.

Bahadir Baruter e Özer Aydogan não irão, no entanto, à prisão depois que sua condenação foi comutada por uma multa de 7.000 liras turcas (R$ 8.678), afirma a imprensa turca.

A justiça pedia uma condenação de dois anos de prisão para os chargistas, que não são os primeiros condenados na Turquia por terem desenhado de forma ofensiva o presidente turco.

Presidente turco manda UE "não se meter" em assuntos do país:

Na charge em questão Erdogan, que chega ao controverso palácio presidencial de Ancara após sua vitória em agosto de 2014, critica os dois homens que o recebem por não terem sacrificado "ao menos um jornalista".

O desenho relaciona, assim, o costume turco de degolar um cordeiro para celebrar um acontecimento importante com as práticas do chefe de Estado turco que seus críticos consideram autoritárias.

Erdogan, que dirige o país desde 2003, primeiro como primeiro-ministro e depois como presidente, provocou a condenação de vários jornalistas e artistas turcos por insultá-lo.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade
Publicidade