7 eventos ao vivo

Reeleição de Obama é positiva ao Brasil e G20, diz Mantega

Guido Mantega diz que ficou satisfeito com reeleição de Obama

7 nov 2012
19h32
atualizado às 21h32

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, ficou satisfeito com a reeleição do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciada na madrugada desta quarta-feira. "Não há avaliação do governo. Há uma avaliação minha. Eu considero que a reeleição do presidente Barack Obama é positiva para o Brasil, para o G20. Nós temos uma estratégia econômica mais claramente definida com um governo democrata", disse.

O essencial do dia em que os EUA reelegeram Obama
Obama revisita esperança e diz que "o melhor está por vir"
Romey admite derrota: "eleição acabou, mas princípios permanecem"
Fotos: os democratas comemoram e os republicanos choram
Confira como foi o dia de votação nos 50 Estados americanos

Reeleição de Barack Obama é positiva para o Brasil e para o G20, segundo Mantega
Reeleição de Barack Obama é positiva para o Brasil e para o G20, segundo Mantega
Foto: AP

Confira os especiais das eleições nos EUA
Confira a apuração nos EUA em tempo real
Terra acompanha dia decisivo para o futuro dos EUA
Especial traz reportagens dos bastiões democratas e republicanos
Veja os vídeos sobre as eleições americanas

Para o titular da pasta, o líder norte-americano enfrentou a fase mais "crítica" da crise financeira internacional e não foi melhor sucedido devido às dificuldades enfrentadas no Congresso Nacional pelos oposicionistas. "Ele Obama assumiu e pegou a fase mais crítica da crise e conseguiu superá-la relativamente bem e só não está indo melhor porque o Congresso americano não tem aprovado as suas propostas de ação fiscal e criado algumas dificuldades", disse.

No entanto, na avaliação de Mantega, a reeleição ratifica a "autoridade presidencial" de Obama para "conseguir ir adiante com seus programas de governo". Nesse novo mandato, o presidente norte-americano deve conseguir superar o "abismo fiscal" e manter a economia do país crescente e auxiliar a recuperação da economia mundial.

"A economia dos EUA está crescendo, pouco, mas está crescendo. Está melhor do que a economia europeia. Se ele Obama conseguir superar o abismo fiscal, que o obrigaria a reduzir gastos em investimento para aumentar impostos (...) eu acredito que vai conseguir superar esse abismo fiscal e os EUA poderão, a partir do ano que vem, crescer a taxas um pouco melhores ajudando na recuperação da economia mundial", disse.

Agência Brasil Agência Brasil
publicidade