0

EUA anunciam criação de equipe médica para combater Ebola

Equipe de apoio, de 30 pessoas, poderá agir em caso de crise de Ebola no país

19 out 2014
17h50
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, ordenou a criação de uma equipe de apoio médico de 30 membros para fornecer ajuda de emergência no caso de uma crise de Ebola no país, disse neste domingo um porta-voz do Pentágono.

<p>Presidente dos EUA, Barack Obama, em reuni&atilde;o sobre respota do governo ao Ebola no Sal&atilde;o Oval da Casa Branca, em&nbsp;16/10/2014</p>
Presidente dos EUA, Barack Obama, em reunião sobre respota do governo ao Ebola no Salão Oval da Casa Branca, em 16/10/2014
Foto: Larry Downing / Reuters

A equipe de cinco médicos, 20 enfermeiros e cinco treinadores poderá agir imediatamente para ajudar os profissionais médicos civis, de acordo com uma declaração do contra-almirante John Kirby.

Três casos de Ebola foram diagnosticados nos EUA, levando a uma preocupação generalizada sobre a possível disseminação do vírus. Um homem liberiano ficou doente durante uma viagem para Dallas, no Texas, e morreu em 8 outubro. Duas enfermeiras que cuidaram dele contraíram a doença.

Kirby classificou a equipe como "uma medida adicional e prudente para garantir que a nossa nação esteja pronta para responder de forma rápida, eficaz e segura a eventuais outros casos de Ebola".

Ele disse que a equipe será formada por enfermeiros intensivistas, médicos treinados em doenças infecciosas e treinadores de protocolos para lidar com esse tipo de enfermidade.

"Eles não vão ser enviados para a África Ocidental ou para qualquer outro lugar no exterior e serão chamados internamente apenas se for considerado prudente por nossos profissionais de saúde pública", disse o comunicado.

Foto: Terra Arte

Veja também:

Coronavírus: as dicas do 'melhor professor do mundo' para ensinar as crianças durante o isolamento
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade