3 eventos ao vivo

Envelope com cápsulas de balas é enviado para ex-premiê

Renzi recebeu carta endereçada a seu gabinete no Senado

3 mar 2021
13h53
atualizado às 14h07
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O ex-premiê e atual senador da Itália, Matteo Renzi, recebeu um envelope com duas cápsulas de bala em seu gabinete no Senado nesta quarta-feira (3), informam fontes parlamentares.

Renzi recebeu carta em seu gabinete no Senado
Renzi recebeu carta em seu gabinete no Senado
Foto: ANSA / Ansa

Após o incidente, a presidente da Câmara Alta, Elisabetta Casellati, telefonou para o líder do Itália Viva (IV) para prestar solidariedade em seu nome e dos senadores.

Renzi não se manifestou publicamente sobre a ameaça, mas outros membros do seu partido e até de opositores condenaram a ação.

O ministro da Defesa, Lorenzo Guerini, afirmou que esse "gesto vil deve ser condenado firmemente". Da mesma sigla, o líder do Partido Democrático (PD) no Senado, Andrea Marcucci, chamou o ato "de um gesto de loucura". "O ódio deve ser totalmente banido da linguagem da política", acrescentou.

"Uma ameaça assustadora que celebro ter sido condenada por todos com firmeza. É o momento de dizer chega a essa política impregnada de violência e ódio", disse a correligionária do IV Teresa Bellanova.

Até mesmo os líderes do Senado e da Câmara dos Deputados do partido de extrema-direita Liga, Riccardo Molinari e Massimiliano Romeo, respectivamente, afirmaram que "o debate pelas ideias diferentes não deve nunca desembocar em atos intimidatórios e violentos". "Os limites do respeito às pessoas nunca devem ser ultrapassados. Para Renzi, enviamos toda a nossa solidariedade", afirmaram em nota.

Mesmo sem estar no cargo de premiê há pouco mais de cinco anos, o senador voltou ao centro da política italiana em janeiro de 2020 após retirar o apoio da sua sigla, o IV, da base de apoio do então premiê Giuseppe Conte.

Como a coalizão acabou enfraquecendo, o primeiro-ministro renunciou para tentar recompor as forças em um novo governo.

Porém, como o IV continuou se negando a apoiar Conte, o presidente Sergio Mattarella deu a missão de formar um novo governo para Mario Draghi - que conseguiu organizar uma base política que vai da centro-esquerda para a extrema-direita.    .
   

Veja também:

O que príncipe Philip viu acontecer no mundo em quase cem anos de vida
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade