PUBLICIDADE

Em luta contra a Covid-19, Portugal alivia lockdown com cautela

15 abr 2021
0comentários
Publicidade

A maior parte das regiões portuguesas irá entrar na terceira fase de atenuação das restrições de lockdown impostas por conta da Covid-19 na semana que vem, mas regras mais rígidas continuarão em vigor em cidades onde as taxas de transmissão continuam altas, afirmou o primeiro-ministro António Costa nesta quinta-feira. 

Loja reaberta em Lisboa
 5/4/2021   REUTERS/Pedro Nunes
Loja reaberta em Lisboa 5/4/2021 REUTERS/Pedro Nunes
Foto: Reuters

"Esse conjunto de medidas não é prêmio nem punição", disse Costa em entrevista coletiva. "São medidas de saúde pública para a segurança da população".

Portugal, que impôs um lockdown em janeiro para conter um grave surto, começou a suspender as restrições no mês passado e desde então reabriu algumas escolas, e áreas abertas de cafés e restaurantes, museus e salões de beleza. 

Nas últimas duas semanas, as pessoas saíram às ruas para aproveitar as temperaturas mais quentes da primavera do hemisfério norte, reencontrando amigos e parentes, e desfrutando de refeições do lado de fora após dois meses presas em casa.

A partir de segunda-feira as escolas secundárias, universidades, cinemas, shoppings centers e as áreas internas dos restaurantes serão reabertos na vasta maioria dos municípios de Portugal, mas com restrições desenvolvidas para reduzir o risco de contágio. 

Eventos ao ar livre, casamentos e batizados também poderão ser retomados com regras sobre a capacidade de pessoas presentes. 

Entretanto, em cidades onde o limite de 120 casos por 100 mil pessoas foi alcançado, as regras serão diferentes. 

Dando um passo atrás, quatro municipalidades, incluindo Algarve Portimão, no oeste, irão retomar regras de lockdown, como o fechamento dos terraços de cafés e de outros serviços não-essenciais. 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade