PUBLICIDADE

Observadores da ONU chegam à região do suposto ataque químico na Síria

28 ago 2013 06h07
| atualizado às 06h19
ver comentários
Publicidade

Após ter adiado sua visita por questões de segurança, a equipe de observadores da ONU entrou nesta quarta-feira na área de Guta Oriental, situada nos arredores da capital Damasco, para investigar o suposto ataque químico realizado no local há uma semana, assinalaram à agência EFE ativistas locais.

Os observadores partiram hoje de um hotel da capital síria e se dirigiram em direção a Zamalka, em Guta Oriental, para obter provas do ataque, que, por sua vez, elevou a tensão na região perante os temores de uma possível intervenção militar internacional.

O suposto ataque com armas químicas ocorreu no último dia 21. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, com sede em Londres, e a oposição síria denunciaram que centenas, talvez milhares de pessoas, entre elas muitas mulheres e crianças, morreram no incidente, uma acusação que, poucas horas depois, o regime de Bashar al-Assad fez questão de negar.

O Exército sírio negou categoricamente as acusações da oposição e ativistas. "As alegações de uso de armas químicas pelo Exército sírio hoje em áreas da província de Damasco são nulas, vazias e totalmente infundadas", afirmaram as Forças Armadas no mesmo dia do episódio em uma declaração liga por um oficial na televisão estatal.

 

EFE   
Publicidade
Publicidade