PUBLICIDADE

Mundo

Diferença salarial entre os gêneros se mantém em 13% na UE

14 nov 2023 - 19h16
(atualizado em 15/11/2023 às 06h46)
Compartilhar
Exibir comentários

Avanços no bloco europeu caminham a passos lentos, mas nova diretriz introduzida pela Comissão Europeia visa garantir salários iguais a todos os cidadãos num prazo de três anos.Os avanços para pôr fim à desigualdade salarial entre os gêneros na União Europeia (UE) caminham a passos lentos, mas os países do bloco lançaram uma nova diretriz voltada para impedir os empregadores de pagarem salários menores a suas funcionárias mulheres.

Mulheres europeias ainda ganham em média menos do que os homens que desempenham as mesmas funções
Mulheres europeias ainda ganham em média menos do que os homens que desempenham as mesmas funções
Foto: DW / Deutsche Welle

As mulheres europeias ainda ganham em média 13% menos do que os homens que desempenham as mesmas funções, segundo dados divulgados pela Comissão Europeia nesta terça-feira (14/11).

Em pleno 2023, para cada 1 euro pago aos homens, as mulheres recebem 87 centavos - o mesmo patamar registrado em 2022.

A diferença salarial entre os gêneros diminuiu 2,8 pontos percentuais na última década. A Comissão, porém, quer acelerar esse processo.

"Pagamentos iguais para as mesmas funções ou funções de igual valor são princípios fundamentais da UE. Isso foi colocado no Tratado de Roma, de 1957", afirmou o Executivo da UE, em comunicado. A nota se refere ao pacto que instituiu a Comunidade Econômica Europeia e criou o mercado comum que deu origem à atual União Europeia.

"Ainda assim, os avanços para a eliminação da diferença salarial estagnaram neste ano e têm sido lentos nos anos recentes."

Como a UE lida com a questão?

Em março de 2020, a Comissão Europeia desenvolveu uma estratégia para pôr fim à diferença salarial até 2025. A Diretriz de Transparência em Pagamentos foi introduzida em junho de 2023, tornando possível que os trabalhadores determinem eles próprios se estão sendo alvo de discriminação e assegurando que os empregadores apliquem os princípios da igualdade salarial.

A Comissão anunciou um orçamento de 6,1 milhões de euros (R$ 32 milhões) para ajudar os Estados-membros a implementarem a Diretriz dentro de um prazo máximo de três anos.

"A transparência é essencial para uma mudança real e essa nova legislação é um importante passo nessa direção", disse a Comissão. "A implementação da Diretriz pelos Estados-membros será agora fundamental para reforçar o princípio da igualdade salarial para todos os cidadãos da UE."

rc (Reuters, KNA)

Deutsche Welle A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade