1 evento ao vivo

Democrata Jones ganha assento do Senado no Alabama em revés para Trump

13 dez 2017
07h33
atualizado às 08h06
  • separator
  • 0
  • comentários

O democrata Doug Jones venceu, na terça-feira, uma disputa acirrada por um assento no Senado dos Estados Unidos no profundamente conservador Estado do Alabama, em um golpe político contra o presidente Donald Trump, após uma disputa marcada por acusações de assédio sexual contra o candidato republicano, Roy Moore.

Candidato democrata ao Senado dos Estados Unidos Doug Jones celebra noite de eleição com partidários e familiares em Birmingham, Alabama 12/12/2017  REUTERS/Marvin Gentry
Candidato democrata ao Senado dos Estados Unidos Doug Jones celebra noite de eleição com partidários e familiares em Birmingham, Alabama 12/12/2017 REUTERS/Marvin Gentry
Foto: Reuters

O resultado faz de Jones o primeiro democrata eleito para o Senado no Alabama em 25 anos e irá reduzir a já pequena maioria parlamentar dos republicanos no Senado, que passará a ser de 51 contra 49, colocando em risco a agenda de Trump e abrindo a porta para que os democratas possivelmente assumam o controle da Casa nas eleições parlamentares do próximo ano.

Com 99 por cento dos votos apurados, Jones tinha uma vantagem de 1,5 pontos percentuais sobre Moore. Entretanto, o republicano se recusou a reconhecer a derrota, dizendo a partidários em Montgomery que os votos ainda estavam chegando e que a lei estadual convocaria uma recontagem caso a margem de diferença fosse de meio por cento.

Em entrevista à CNN, o secretário de Estado do Alabama, John Merrill, disse que é "altamente improvável" que qualquer coisa mude o resultado da eleição. "O povo do Alabama falou", disse.

A campanha agressiva conquistou atenção nacional e dividiu o Partido Republicano depois que diversas mulheres acusaram Moore de tê-las assediado sexualmente quando eram adolescentes e ele tinha mais de 30 anos.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade