0

Cuba não comenta Trump, mas anuncia exercícios militares

10 nov 2016
07h38
atualizado às 09h20
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O governo cubano não comentou a vitória do republicano Donald Trump nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, mas anunciou que fará uma semana de exercícios militares em toda a ilha para "enfrentar o inimigo".

Havana: carro antigo passa em frente a cartaz alusivo ao bloqueio econômico imposto pelos Estados Unidos a Cuba
Havana: carro antigo passa em frente a cartaz alusivo ao bloqueio econômico imposto pelos Estados Unidos a Cuba
Foto: EFE

Mesmo não se referindo abertamente à mudança de governo nos Estados Unidos, que pode comprometer o processo de degelo das relações entre as duas nações, o momento no qual a notícia foi divulgada faz com que ela seja indiretamente direcionada a Trump e aos republicanos.

Segundo o jornal governista Granma, a partir do dia 16 próximo, daqui há exatamente uma semana, as forças armadas cubanas darão início à Operação Bastião 2016, cujo objetivo é verificar "a preparação das tropas e da população civil para enfrentar diversas possíveis ações do inimigo".

O jornal afirma que essas manobras militares incluirão "movimentos de tropas e de material bélico, voos de aviões da aeronáutica militar e testes de materiais explosivos".

É a sétima vez que o regime dos irmãos Raul e Fidel Castro anuncia esses exercícios, que acontecem sempre em concomitância com momentos de tensão nos Estados Unidos. A primeira vez que foram organizados foi em 1980, após as eleições do ex-presidente Ronald Reagan.

Veja também:

"Ele poderia ter sido George Floyd", diz mãe ao lado de filho em protesto
Agência Brasil Agência Brasil
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade