0

Coronavírus: morre padre que cedeu respirador a paciente mais jovem

Giuseppe Berardelli, que deu o respirador dele a outro paciente, está entre os 50 padres mortos na Itália até agora.

24 mar 2020
14h18
atualizado às 14h31
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
O padre Giuseppe Berardelli, de 72 anos, morreu no hospital de Lovere, em Bergamo.
O padre Giuseppe Berardelli, de 72 anos, morreu no hospital de Lovere, em Bergamo.
Foto: Oratorio Casnigo / BBC News Brasil

Um padre italiano que cedeu um respirador a um paciente jovem que ele não conhecia morreu devido à covid-19.

O padre Giuseppe Berardelli, de 72 anos, morreu no hospital de Lovere, em Bergamo, uma das cidades mais atingidas da Itália.

Pelo menos 50 padres já morreram devido ao novo coronavírus na Itália.

País mais afetado do mundo, com mais de 6 mil mortes até agora, a Itália está sob uma quarentena prolongada, enquanto tenta impedir a propagação do vírus.

O coronavírus está se espalhando rapidamente pelo mundo. Já afetou mais de 160 países e causou mais de 16 mil mortes.

Existem mais de 360 mil casos confirmados em todo o mundo. A Europa está agora no epicentro da crise e os Estados Unidos estão enfrentando forte aumento nos casos.

Quem foi o padre Berardelli?

Giuseppe Berardelli, principal sacerdote da cidade de Casnigo, morreu na semana passada no hospital de Lovere.

De acordo com o hospital, ele se recusou a usar um respirador que seus paroquianos haviam comprado para ele e preferiu entregá-lo a um paciente mais jovem.

Os moradores de Casnigo aplaudiram de suas janelas e varandas quando o caixão foi levado para o enterro, segundo relatos. Não houve funeral.

Na terça-feira, o papa Francisco liderou uma oração pelos médicos e padres falecidos, "agradecendo a Deus por seu exemplo heróico em servir aos doentes".

Qual é a situação na Itália?

A Itália fechou a maior parte do comércio e proibiu reuniões públicas em todo o país em 12 de março, para impedir a propagação do vírus.

Bares, restaurantes e a maioria das lojas fecharam, assim como escolas e universidades.

O bloqueio foi prorrogado e o primeiro-ministro, Giuseppe Conte, disse que isso ajudou a evitar "o colapso do sistema".

Sacerdotes celebram serviços funerários sem parentes na Itália.
Sacerdotes celebram serviços funerários sem parentes na Itália.
Foto: PIERO CRUCIATTI / BBC News Brasil

Com mais de 600 mortes por dia, a Itália está longe de ter controlado o contágio.

A Itália tem 63.927 pessoas com a covid-19, doença causada pelo vírus. Até o momento, foram relatadas 6.077 mortes e 7.432 pessoas receberam alta do hospital após a recuperação.

Mas o número infectado pode ser muito maior. Angelo Borrelli, chefe da defesa civil da Itália, disse ao jornal La Repubblica na terça-feira que é "crível" estimar que os números são, na realidade, 10 vezes maiores.

"Nas próximas horas ... veremos se a curva de crescimento está realmente achatando", disse ele ao jornal.

Qual é a situação em todo o mundo?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que a pandemia da doença causada pelo novo coronavírus está "acelerando", com mais de 300 mil casos confirmados.

Mas o diretor geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que ainda é possível "mudar a trajetória".

Ele instou os países a adotarem estratégias rigorosas de teste e rastreamento de contatos.

Veja também:

Explosão no Líbano: BBC visita epicentro do desastre no porto de Beirute
BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade