PUBLICIDADE

Mundo

Coreia do Norte diz que interferência em seus satélites seria uma declaração de guerra

2 dez 2023 - 14h02
Compartilhar
Exibir comentários

A Coreia do Norte afirmou neste domingo que considerará qualquer interferência em sua operação de satélites como uma declaração de guerra e mobilizará sua dissuasão de guerra se qualquer ataque contra seus ativos estratégicos for iminente.

Pyongyang responderá a qualquer interferência dos EUA no espaço eliminando a viabilidade de satélites espiões norte-americanos, segundo o veículo estatal de imprensa KCNA, citando um comunicado do porta-voz do Ministério da Defesa da Coreia do Norte.

"Caso os EUA tentem violar o território legítimo de um Estado soberano armando de maneira ilegal e injusta as mais recentes tecnologias, a DPRK considerará responder com medidas de ação em legítima defesa para minar ou destruir a viabilidade de satélites espiões dos EUA", disse o comunicado.

DPRK são as iniciais, em inglês, do nome oficial da Coreia do Norte, República Popular Democrática da Coreia.

A Coreia do Norte afirma que conseguiu lançar seu primeiro satélite espião militar em 21 de novembro, transmitindo fotos de instalações militares nos EUA, Japão e no território norte-americano de Guam.

Um porta-voz do Comando Espacial dos EUA, questionado se Washington tinha capacidade de interromper as operações de reconhecimento do satélite norte-coreano, disse que os EUA poderiam negar as capacidades espaciais de um adversário de várias maneiras, segundo a emissora norte-americana, RFA.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade