0

Compromissos climáticos para 2030 deixam mundo longe da meta de 1,5ºC, alerta ONU

26 fev 2021
13h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Por Megan Rowling

11/12/2019
REUTERS/Susana Vera
11/12/2019 REUTERS/Susana Vera
Foto: Reuters

BARCELONA (Thomson Reuters Foundation) - Os planos atualizados de redução de emissões, entregues até agora por cerca de 75 nações antes da cúpula COP26 de novembro, nem se aproximam dos cortes imensos que são necessários para se cumprir os compromissos climáticos globais, disse a chefe para o clima da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta sexta-feira, pedindo esforços redobrados.

Um relatório da ONU que sumariza os planos de ações climáticas revisados --que cobrem cerca de 40% dos países do Acordo de Paris de 2015 e 30% das emissões de efeito estufa-- disse que estes resultarão em uma redução de emissões combinada de somente 0,5% dos níveis de 2010 até 2030.

"Isto simplesmente não é bom o suficiente", disse Patricia Espinosa, exortando governos a apresentarem promessas maiores de cortes antes da COP26, inclusive aqueles que já atualizaram seu planos.

O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) disse que as emissões globais precisam cair cerca de 45% até 2030 em relação aos níveis de 2010 para dar ao mundo uma boa chance de limitar o aumento das temperaturas médias a 1,5 grau Celsius acima dos tempos pré-industriais.

Conforme o acordo de Paris, quase 200 países se comprometeram a manter o aquecimento "bem abaixo" de 2ºC e se esforçarem por um teto de 1,5ºC.

Até agora, o planeta já esquentou cerca de 1,2ºC, o que agrava os eventos climáticos extremos e a elevação dos mares.

Espinosa disse que o relatório síntese deixou claro que "os níveis atuais de ambição climática estão muito longe de colocar as nações em uma rota" de cumprimento da meta de 1,5ºC.

"É incrível pensar que, justamente quando nações estão enfrentando uma emergência (climática) que futuramente pode acabar com a vida humana neste planeta... muitas estão se atendo à abordagem 'vamos seguir como de costume'", disse ela aos jornalistas.

Mas se governos investirem trilhões de dólares em gastos planejados para recuperar suas economias da Covid-19 em medidas verdes de resistência climática, "temos uma chance de mudar a trajetória", acrescentou.

Espinosa enfatizou que o relatório divulgado nesta sexta-feira é só um "instantâneo" dos planos de ações sobre o clima até o momento, e que uma avaliação mais completa será compilada antes da COP26.

Muitos países descumpriram um prazo de 2020 para apresentar planos mais robustos de ações climáticas por causa dos transtornos causados pela pandemia, e a cúpula COP26 de Glasgow foi adiada em um ano.

Veja também:

O que príncipe Philip viu acontecer no mundo em quase cem anos de vida
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade