7 eventos ao vivo

Com aprovação de Biden, EUA bombardeiam na Síria bases de milícias apoiadas pelo Irã

Pentágono afirmou que ação desta quinta-feira (25/2) é resposta a ataques anteriores contra instalações americanas no Iraque.

25 fev 2021
23h34
atualizado às 23h46
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Aeroporto de Erbil foi um dos alvos de ataques contra bases americanas no Iraque; EUA responderam nessa quinta-feira (25/2) com o que Pentágono chamou de 'resposta militar proporcional'
Aeroporto de Erbil foi um dos alvos de ataques contra bases americanas no Iraque; EUA responderam nessa quinta-feira (25/2) com o que Pentágono chamou de 'resposta militar proporcional'
Foto: EPA / BBC News Brasil

Militares dos Estados Unidos executaram nesta quinta-feira (25/2) um ataque aéreo contra milícias apoiadas pelo Irã e localizadas no leste da Síria, segundo informou o Pentágono.

O ataque destruiu "várias instalações localizadas em um ponto de controle na fronteira usado por vários grupos de militantes apoiados pelo Irã", disse comunicado do Departamento de Defesa dos EUA.

O presidente Joe Biden aprovou a ação como resposta a recentes ataques contra instalações americanas no Iraque — no início do mês, um empreiteiro civil foi morto em Erbil, em uma base da coalizão militar liderada pelos EUA. Houve também feridos no ataque com mísseis, um militar americano e outros cinco empreiteiros de nacionalidade não identificada. O aeroporto da cidade também foi atingido.

Mísseis atingiram ainda bases americanas em Bagdá, capital do Iraque, incluindo a Zona Verde, que abriga a embaixada americana e outras instalações diplomáticas.

O Pentágono nomeou a Kataib Hezbollah e a Kataib Sayyid al-Shuhada como as duas milícias alvos do bombardeio de quinta-feira.

O órgão americano classificou a ação como uma "resposta militar proporcional", tomada "junto com medidas diplomáticas"."A operação envia uma mensagem inequívoca", afirmou o comunicado do Pentágono."O presidente Biden agirá para proteger forças americanas e da coalizão. Ao mesmo tempo, agimos de forma deliberada para apaziguar a situação geral no leste da Síria e no Iraque."

Veja também:

A hipnotizante erupção do vulcão Piton de la Fournaise
BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade