0

Casa Branca diz a democratas que não vai participar de audiências de impeachment de Trump

6 dez 2019
18h51
atualizado às 19h54
  • separator
  • 0
  • comentários

A Casa Branca informou o Congresso dos Estados Unidos na sexta-feira que se recusará a participar de audiências de impeachment contra o presidente Donald Trump no Comitê Judiciário da Câmara dos Deputados na próxima semana.

06/12/2019
REUTERS/Kevin Lamarque
06/12/2019 REUTERS/Kevin Lamarque
Foto: Reuters

Em uma carta ao presidente do Comitê Judiciário, Jerrold Nadler, Pat Cipollone, advogado da Casa Branca, descreveu o inquérito de impeachment dos democratas de "completamente infundado" e disse que a presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, determinou que os democratas continuassem com os artigos de impeachment "antes que seu comitê ouvisse um único fragmento de evidência".

"Não vemos motivo para participar porque o processo é injusto", disse um alto funcionário do governo. "Não tivemos uma oportunidade justa de participar. A presidente já anunciou o resultado predeterminado."

Pelosi pediu na quinta-feira ao Comitê Judiciário que elaborasse artigos de impeachment --acusações formais-- contra o presidente republicano. O comitê pode esboçar e defender os artigos até a próxima quinta-feira, e a Câmara, liderada pelos democratas, poderia votar até o Natal.

Pelosi lançou em setembro o inquérito de impeachment sobre o pedido de Trump para que a Ucrânia investigasse o ex-vice-presidente Joe Biden, um dos principais nomes democratas para conseguir a candidatura para enfrentar o presidente nas eleições de 2020.

"Os democratas da Câmara já desperdiçaram tempo suficiente da América com essa farsa", disse Cipollone na carta. "Vocês deveriam encerrar este inquérito agora e não desperdiçar mais tempo com audiências adicionais."

Segundo ele, Trump disse: "se vocês vão seguir com o impeachment, façam-no agora, rápido, para que possamos ter um julgamento justo no Senado e para que nosso país possa voltar ao que importa."

Trump tem deixado claro que seus advogados apresentarão uma defesa no Senado, controlado pelos republicanos, onde ele acredita que receberá tratamento justo.

Trump, que nega qualquer irregularidade, vem se recusando a cooperar com o inquérito e ordenou a funcionários antigos e atuais do governo a não deporem nem providenciarem documentos exigidos por comitês da Câmara controlada pelos democratas.

Nadler marcou uma audiência do comitê para segunda-feira. O comitê que ele comanda é responsável pela elaboração de artigos de impeachment e tem que aprová-los antes de enviá-los para uma votação no plenário da Câmara.

Os republicanos no Comitê Judiciário querem Hunter Biden, o parlamentar democrata Adam Schiff e um delator entre as pessoas que vão testemunhar nas audiências de impeachment do presidente Donald Trump, disse o principal republicano no painel em uma carta na sexta-feira.

O deputado republicano Doug Collins pediu a Nadler que emita intimações para todas as testemunhas solicitadas, exceto Schiff, presidente do Comitê de Inteligência da Câmara.

Pelosi acusou Trump de abusar de seu poder pedindo que um governo estrangeiro interferisse em uma eleição norte-americana para seu próprio benefício político e à custa da segurança nacional. Os artigos de impeachment podem incluir abuso de poder, suborno, obstrução do Congresso e obstrução da justiça.

Os republicanos acusam os democratas de realizar uma caça às bruxas com motivação política, visando derrubar Trump com um processo injusto de impeachment.

Veja também:

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade