PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Mundo

Candidato presidencial russo antiguerra barrado tem dois recursos rejeitados na Justiça

15 fev 2024 - 12h25
Compartilhar
Exibir comentários

A Suprema Corte da Rússia rejeitou nesta quinta-feira dois recursos legais do candidato antiguerra Boris Nadezhdin após sua desqualificação para a eleição presidencial do próximo mês.

Ao anunciar a sentença do tribunal contra ele, Nadezhdin disse que recorreria de ambas as decisões e apresentaria uma nova reclamação contra a recusa da comissão eleitoral em registrá-lo.

"Eu não desisto e não desistirei", afirmou ele.

Nadezhdin esperava se candidatar contra o presidente Vladimir Putin, mas foi impedido na semana passada. A comissão eleitoral disse que encontrou irregularidades, incluindo nomes de pessoas mortas, na lista de assinaturas de apoiadores que ele apresentou em apoio à sua candidatura.

Ao desqualificá-lo, a comissão removeu o único candidato restante que havia se manifestado contra o que Putin chama de "operação militar especial" na Ucrânia, descrevendo-a como um erro fatal do líder do Kremlin. Outra figura contrária à guerra, Yekaterina Duntsova, caiu no primeiro obstáculo do processo de registro em dezembro.

Embora ninguém esperasse que Nadezhdin vencesse, ele fez uma campanha eficiente e criou um impulso visível ao aproveitar a inquietação generalizada com relação à guerra. As pessoas fizeram fila, em pleno inverno, para acrescentar seus nomes à lista de pelo menos 100.000 assinaturas de apoiadores que ele apresentou.

"Um grande número de pessoas fez fila em todas as cidades do país", disse ele ao tribunal. "Não havia filas para se inscrever em outros candidatos. Só nós tivemos algo assim."

Muitos analistas presumiram que Nadezhdin só teve permissão para superar os obstáculos iniciais para entrar na eleição com a aprovação do Kremlin - algo que Nadezhdin negou - a fim de dar a aparência de competição.

O Kremlin diz que ele nunca foi um rival sério e que a comissão eleitoral simplesmente aplicou as regras.

O resultado significa que Putin, no poder como presidente ou primeiro-ministro desde o último dia de 1999, enfrentará apenas três outros candidatos na votação de 15 a 17 de março: Vladislav Davankov, do partido Novo Povo; Leonid Slutsky, líder do Partido Liberal Democrata, ultranacionalista e leal ao Kremlin; e o candidato do Partido Comunista Nikolai Kharitonov.

Nenhum deles é crítico de Putin ou representa um desafio sério.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade