1 evento ao vivo

Boris Johnson diz ter esperança em reabertura total em junho

"Estou esperançoso, mas obviamente nada pode ser garantido", disse o premie

23 fev 2021
12h39
atualizado às 12h48
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse nesta terça-feira que está muito esperançoso de que todas as restrições da covid-19 na Inglaterra terminarão no dia 21 de junho, e acrescentou que o governo revisará o uso de certificados de vacinas.

Premiê britânico, Boris Johnson
23/02/2021
Stefan Rousseau/Pool via REUTERS
Premiê britânico, Boris Johnson 23/02/2021 Stefan Rousseau/Pool via REUTERS
Foto: Reuters

Na segunda-feira, Johnson apresentou um roteiro para a saída da Inglaterra do lockdown que manteria alguns negócios fechados até o verão, dizendo que é preciso cautela para que não haja retrocessos em uma "estrada de mão única para a liberdade".

"Estou esperançoso, mas obviamente nada pode ser garantido... tenho muita esperança de que conseguiremos chegar lá", disse o premiê a emissoras quando indagado sobre a data de 21 de junho agendada para o fim das restrições.

Com quase 130 mil baixas, o Reino Unido tem o quinto maior número de mortes de Covid-19 do mundo, e sua economia passa pela pior retração em mais de 300 anos.

Mas em dois meses o país já conseguiu dar uma primeira dose de vacina a mais de um quarto da população, a distribuição mais veloz de qualquer país grande, o que faz dele um estudo de caso para governos de todo o mundo que esperam voltar à normalidade.

Colegas do Partido Conservador de Johnson questionam se o cronograma para a reabertura não poderia ter sido mais rápido, dado o sucesso da vacinação britânica até o momento.

Mais cedo, o ministro da Saúde, Matt Hancock, disse que a segurança é a prioridade.

Veja também:

O menino cego de 9 anos que dá aula em escola destruída pela guerra no Iêmen
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade