13 eventos ao vivo

Turistas dos EUA confessam assassinato de policial na Itália

Os dois estrangeiros estavam a turismo no país

27 jul 2019
12h51
atualizado às 13h49
  • separator
  • 0
  • comentários

Os dois turistas americanos suspeitos do homicídio do policial militar Mario Cerciello Rega, vice-brigadeiro de 35 anos da Arma dos Carabineiros, admitiram a autoria do crime.

Mario Cerciello Rega
Mario Cerciello Rega
Foto: Reprodução

Segundo os investigadores, o autor material do assassinato foi Elder Finnegan Lee, de 19 anos, que teve como cúmplice Gabriel Christian Natale-Hjorth, 18. Inicialmente, jornais e sites italianos publicaram de forma genérica que os suspeitos do crime eram "norte-africanos", o que logo virou combustível para políticos de extrema direita, mas o boato foi desmentido pelo avançar das investigações.

Lee e Natale-Hjorth, que estavam de férias em Roma, são acusados de homicídio agravado e tentativa de extorsão. Eles foram capturados em um hotel da capital italiana e estavam prontos para deixar o país.

O crime ocorreu na rua Pietro Cossa, a dois quilômetros do Vaticano, em pleno centro de Roma, na madrugada da última sexta-feira (26). Rega, que havia acabado de se casar, chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital.

Depoimento

Interrogado pelo Ministério Público de Roma, Lee disse que não sabia que a vítima era um policial da Arma dos Carabineiros.

Segundo a reconstrução dos investigadores, os dois americanos haviam furtado a mochila de um cidadão italiano e pedido 100 euros e um grama de cocaína para restituí-la. A vítima alertou a polícia, que decidiu ir ao local combinado para prender os criminosos.

Nesse momento, de acordo com a investigação, Rega, que estava à paisana, foi esfaqueado oito vezes. Lee disse à polícia que o militar não se identificou durante a abordagem, mas Natale-Hjorth afirmou aos investigadores que os dois sabiam que se tratava de um oficial.

Restam dúvidas ainda sobre o homem que teve a mochila furtada.

Uma versão diz que os dois jovens queriam comprar droga, mas acabaram levando aspirina no lugar. Na sequência, teriam furtado a mochila do suposto traficante e exigido um "resgate" de 100 euros e um grama de cocaína.

No entanto é incomum que pessoas envolvidas em atividades ilícitas se dirijam à polícia para denunciar um crime, como fez o dono da mochila furtada. Rega será velado neste domingo (28), em Roma, e sepultado na segunda-feira (29), na cidade de Somma Vesuviana, nos arredores de Nápoles.

Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade