0

Greve policial gera onda de saques e caos em cidade argentina

4 dez 2013
14h07
atualizado às 14h13
  • separator
  • 0
  • comentários

Uma paralisação policial em busca de melhores salários provocou uma onda de saques, roubos e destruição em comércios de Córdoba, a segunda maior cidade da Argentina, informa a agência AP. O governo local diz que a greve foi provocada pelo fechamento de bordéis que serviam como fonte de receitas para policiais corruptos. 

A onda de violência começou na noite de terça-feira e continuou nesta quarta-feira. Vitrines de comércios foram destruídas, multidões invadiram supermecados, ladrões atacaram pessoas nas ruas e "vigilantes" se armaram para proteger suas casas, segundo a AP.

Autoridades hospitalares confirmaram que uma pessoa morreu após receber um tiro no peito. Ao menos outras 100 ficaram feridas, a maioria delas atingida por estilhaços de vidraças quebradas. Segundo o governador de Córdoba, José Manuel de la Sota, ao menos 56 pessoas foram presas em razão da onda de violência. 

O governo oferece um aumento salarial de 52%, incluindo bônus e horas extra, elevando para um total de 12,6 mil pesos, o que representa cerca de US$ 2 mil no câmbio oficial e US$ 1,350 no mercado negro - considerado uma forma mais precisa para medir o valor da moeda argentina. Os grevistas esperam um salário de 13 mil pesos. Acredita-se que um acordo possa ser fechado ainda nesta quarta-feira. 

Segundo a AP, De la Sota também descreveu a paralisação como uma resposta dos policiais à sua decisão de fechar 140 bordéis que pagavam propina para policiais corruptos. "Nós sabíamos que isso, que é um negócio terrível, está ligado ao tráfico de drogas e que isso nos traria problemas mais cedo ou mais tarde", disse o governador. 

As autoridades nacionais enviaram um reforço de 2 mil guardas de fronteiras para ajudar a restaurar a ordem em Córdoba a partir desta tarde. 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade