PUBLICIDADE

Em recado a Bolsonaro, Pacheco diz que democracia 'não se faz sem respeito ao Judiciário'

Bolsonaro tenta atribuir ao ministro do STF Alexandre de Moraes um suposto abuso de autoridade

19 mai 2022 16h29
ver comentários
Publicidade

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), saiu em defesa nesta quinta-feira, 19, do Poder Judiciário e disse que a democracia não se faz sem respeito a ele. A fala de Pacheco acontece em meio a ataques do presidente Jair Bolsonaro (PL) ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

"Sempre quero deixar claro o nosso compromisso com a democracia, com o estado de direito. E esse compromisso, definitivamente, não se faz sem o absoluto respeito ao Poder Judiciário, e é o que aqui eu gostaria de externar", afirmou o senador durante um evento organizado pelo Conselho da Justiça Federal.

Moraes será o próximo presidente do TSE e comandará a Justiça Eleitoral durante as eleições de 2022. Foto: Wilton Junior

Na terça-feira, 19, Bolsonaro tentou atribuir ao ministro do STF Alexandre de Moraes um suposto abuso de autoridade. A iniciativa de Bolsonaro já foi rejeitada pelo STF, mas o presidente ainda tenta recorrer por meio da Procuradoria-Geral da República (PGR). Moraes será o próximo presidente do TSE e comandará a Justiça Eleitoral durante as eleições de 2022.

O presidente da República tem questionado o processo eleitoral e pondo em dúvida a legitimidade das urnas eletrônicas. Sob o pretexto de que as urnas não são auditáveis, Bolsonaro tem afirmado que pode ser vítima de uma conspiração na eleição de 2018. Apesar do que diz o presidente, há maneiras de auditar o resultado das eleições e o TSE permite acompanhamento de diversas partes do processo por parte da sociedade civil organizada.

Na quarta-feira, 18, em outro recado a Bolsonaro, Pacheco defendeu as urnas eletrônicas. "Nosso sistema eletrônico de votação é motivo de orgulho para nós, brasileiros, e referência no mundo. Em 18 eleições ao longo de 25 anos desde a implementação das urnas eletrônicas, não houve nenhum registro de fraude", disse por meio do Twitter. Também nas redes sociais, o mineiro disse que "de protagonistas do caos, o Brasil está cheio".

Estadão
Publicidade
Publicidade